Tradução deste blog

sábado, 30 de abril de 2011

PASTOR SILAS MALAFAIA E A BRONCA DESCONTEXTUALIZADA

Dia 29 de abril, trabalhei até às 23H45. Último dia para entrega do imposto de renda e com meus colegas, cuidando dos retardatários. No sábado pela manhã me permiti dar um presente, levantar um pouco mais tarde, tomar o meu café, para assistir o programa da Igreja Presbiteriana, como sempre, impecável, depois o outro programa que tem aquele rugido insuportável de um leão e mais tarde, ouvindo a bronca do Pastor Silas Malafaia. Felizmente, ele é defensor da crítica e somente cito o seu nome porque está intrinsecamente ligado ao programa, não obstante, ele nada me deve e acho-o corajoso, mente brilhante e capaz de representar publicamente o que todos nós evangélicos, gostaríamos de falar e não temos voz. Veja o meu caso, apenas escrevo, calado no meu canto. A parcialidade é perigosa; cria o mocinho e o bandido, o herói e o vilão. O povo evangélico, de modo geral nem sabe o que está acontecendo e uma  bronca descontextualizada dos fatos,  remete os ouvintes a julgamentos ensandecidos. Essa briga entre o pastor da igreja de Belém do Pará e a CGADB teve um começo e precisa acabar,  de preferência antes que terminem as comemorações do centenário. Outra coisa, precisam parar com essa estória de IGREJA MÃE. Tenho o maior respeito pela igreja do Senhor em Belém do Pará, são nossos irmãos mas essa falácia, pode criar um fanatismo impar em torno dessa igreja, beirando a idolatria. Voltando as brigas, quero relembrar que em um dos programas, o Pastor Samuel Câmara, falou aproximadamente 10 minutos sobre a igreja de São Paulo, específicamente da igreja do Belezinho, citou o nome do Pastor Cícero que fora presidente dessa igreja e recusou-se a sequer pronunciar o nome do atual pastor pelo menos pelo simples fato de estar se referindo a  igreja cujo atual pastor é o Pr. José Wellington B. da Costa. Se isto não for uma demonstração de falta de humildade, sei lá o que venha a ser.
Convenhamos, tá todo mundo na contra mão da história, não está havendo aquela humildade tão ensinada para os crentes. Como podem pregar o amor e o perdão quando não o praticam. Fosse eu, respeitaria a diretoria da CGADB e humildemente iria procurando o meu espaço, pois, o homem cresce por suas virtudes e não por sua valentia, pelo poder, pela capacidade de comprar igrejas ou de influenciar pessoas. Sou membro da CGADB e pergunto; quem na atual conjuntura merece o meu voto de respeito se todos se deixam embalar pelo gosto do poder. Para finalizar, gostaria que o Pastor Malafaia e todas as lideranças evangélicas deste país, reconhececem que não somos massa de manobra ainda que queiram nos fazer engolir esse indigesto bolo. Ainda bem que isso é briga de bastidores e o povo de Deus caminha sem emprestar seus ouvidos a essas questões que em nada mudará o rumo da nossa história, a história das Assembléias de Deus no Brasil.

UM POUCO DE BÍBLIA PARA REFRESCAR: Gn 13:6-9.
Os rebanhos de Abrão e Ló cresceram tanto que Abrão reconheceu a impossibilidade de habitarem na mesma terra.
E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló e os cananeus e os perizeus, habitavam então na terra. E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti e entre os meus pastores e os teus pastores porque irmãos somos. 



 

sexta-feira, 29 de abril de 2011

DAVID WILKERSON 2011

Como não falar dele.
Lembro-me do inicio da sua carreira descrita no livro "A Cruz e o Punhal".  As conquistas feitas por ele, são um selo do verdadeiro apostolado. Sem apoio ministerial das igrejas da qual fazia parte, fora a desconfiança dos seus pares que achavam sua atitude, uma piada de mau gosto. Mas, ele foi em frente, encarou os problemas, não sabemos precisar o quanto isso custou para sua família, qual o preço pago para alcançar suas metas.
Recentemente alguém me enviou um DVD em que ele, David Wilkerson, chorava e pedia para que os cristãos atentassem para esse novo evangelho, que só fala em prosperidade, que proporciona para os seus líderes um verdadeiro império, capaz de competir com o próprio SENHOR JESUS, evangelho de avião a jato, de carros blindados, de mansões com piscina e de profundo desprezo aos pobres. Quando fazem alguma coisa, alardeiam até cair a língua só para mostrar que fazem trabalho social. A bem da verdade, prestam um DESERVIÇO ao reino de DEUS pois estimulam o ócio, a preguiça espiritual e a busca desenfreada do ser e ter. Os crentes acham que basta estar sob a bandeira da igreja deles e a bênção e a eternidade estão garantidas.
Oremos para que Deus levante homens fiéis que sejam realmente apóstolos e console a família do Pastor DAVID WILKERSON.

Deus abençõe sua igreja. Que o povo de Deus acorde para a mais dura realidade dos últimos tempos, tempos que sinalizam à brevidade da vinda de JESUS.


ERRATA: Errei terrivelmente ao dizer que querem competir com JESUS. Desculpem. Já estão bem na frente, pois JESUS, refiro-me ao nosso, não tinha tanta fome por dinheiro, apesar de ter falado muito sobre ele, não tinha sequer uma belíssima casa junto ao Lago de Genesaré, não tinha onde repousar a cabeça. Que ninguém diga que sou daqueles que querem ver os pastores arrastando sandálias ou fazendo voto de pobreza. Como dizem os filósofos populares: Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. rs...

domingo, 24 de abril de 2011

PÁSCOA JUDAICA OU CRISTÃ?

Estamos nela.
Todo ano, sempre a mesma preocupação.
Lembro-me que há muitos anos atrás, não se podia falar em ovos de chocolate. Tudo o que dizia respeito a Pascoa, era por muitos cristãos, exceto, os católicos, idolatria. Quando tudo é idolatria, passamos a duvidar se existe mesmo idolatria salvo as que a Bíblia trata definida e definitivamente como idolatria, o que fez parte das discussões e orietanções produzidas no primeiro concílio da Igreja em Jerusalém.
Houve época em que nem se podia cogitar de comer um chocolate em forma de ovo; isto era um sacrilégio (1). Sei que todo padre ou religioso, sabe o verdadeiro significado da Páscoa Bíblica.
Nunca considerei a Páscoa Cristã,  uma idolatria mas, uma festa nada emblemática pela forma como é vista e praticada. A Páscoa tal qual comemorada, é uma provocação a inteligência de qualquer cristão leitor da Bíblia Sagrada, muito boa para quem ama feriados prolongados ou resolve trocar carne por peixe por conta da "semana santa" que se encerra no domingo de ramos com a comemoração da Páscoa ou ainda, vive do comércio de produtos voltados à data.
Para entender o significa da Páscoa dita Cristã, faz-se necessário entender a Páscoa Judaica ou Pessach  iniciada no 14º dia de Nissan (março/abril).
Se você é uma pessoa religiosa e quer comemorar a Páscoa de verdade, atente para receita que está no livro de Exôdus 12. Os seguintes ingredientes,  farão parte da mesa: Um cordeiro ou cabrito para cada família, ervas amargosas e pães asmos isto é, sem fermento. Não cozinhe a carne, ela deve ser assada ao fogo, exatamente como fazemos o nosso delicioso churrasco. Não usando esses ingredientes, não é pascoa. Quero lembrar que a pascoa não foi inventada pelos imperadores romanos ou pelos papas que deram largas aos dogmas da igreja. Outra questão importante e talvez isto seja um grande entrave, é que, a sociedade moderna, não é muito afeita a repartir com vizinhos e repartir o cordeiro, era uma palavra de ordem.
No novo testamento, a igreja de Cristo, igreja verdadeiramente cristã, não comemora pascoa pois sabe que ela apontava para Cristo e nele mesmo, como a maior profecia do antigo testamento acerca do sacrifício do filho de Deus, se cumpriu, tornando-se emblemática, o Apóstolo Paulo encerrou a questão dizendo: "...CRISTO, A NOSSA PÁSCOA, FOI SACRIFICADO POR NÓS" (ICo 5:7).
Jesus quis comemorar a Páscoa com os discípulos e ele que tinha toda autoridade, resolveu modificar os elementos, usando na oportunidade, o pão e o vinho a que o Apóstolo Paulo chama de "memorial"  ICo 11:23 e seguintes. "Fazei isto em memória de mim, disse JESUS", (Lc 22:7 e sgts.).
Dar a Páscoa o tom que se dá nas liturgias é no mínimo desprezar os ensinamentos da palavra de Deus e todos os líderes religiosos, sabem disso muito bem e deveriam reconsiderar a questão.
Exageros a parte;  há cristãos que proíbem os filhos de comer um pedaço de chocolate em forma de ovo por considerar  isto, uma idolatria. Minha particular consideração é que esta pascoa,  dita cristã é uma impropriedade tamanho família, nunca considerei uma idolatria.
Fui pastor de uma igreja, em Vila Miriam e nunca me saiu da lembrança quando uma irmã, em um culto de testemunhos, usando o microfone disse: "Deus me abençoou muito, pois, eu estava desempregada e resolvi fazer ovos de pascoa. Vendi tantos  que me surpreendi". De início, corei um pouco porém me refiz para pensar que; se tem quem coma, deve haver quem o faça (rs...).
Só achei muito estranho foi ouvir neste último sábado, um programa evangélico em que um renomado líder assembleano disse ao encerrar o programa: "Uma abençoada pascoa para todos" Confesso que não entendi essa saudação!!!
Se alguém tentar me explicar;  que o faça biblicamente.
Não considerar o que a bíblia diz a respeito deste tema, é introduzir heresias na igreja e tudo tem seu preço.

1) Profanação das coisas sagradas, termo muito usado no catolicismo.

domingo, 17 de abril de 2011

VERDADE E MENTIRA DE MÃOS DADAS.

Um texto bíblico que sempre me impressionou em todo e qualquer sentido, está na segunda carta do Apóstolo João verso 4 "Muito me alegro por achar que ALGUNS de teus filhos andam na verdade, assim como temos recebido o mandamento do Pai. (grifo meu).
Certamente fica difícil entender que "Senhora" (Cyria)  se refira a alguém proeminente. Fico muito mais com a ideia que Senhora Eleita é uma referência a igreja e seus membros em particular. O que impressiona é que João sabia que nem todos andavam na verdade.
Lembro-me quando jovem, pessoas que visitavam os Estados Unidos, voltavam com uma grande impressão pela postura do povo americano no tocante a sustentação da verdade e a crença nos valores humanos. Sei que isso por lá, virou fantasia como aqui também. Não foi sem razão que, por conta do escandalo financeiro em 2010,  centenas de americanos perderam suas casas e foram morar em barracas. Alguém tinha mentido para a sociedade e o preço foi alto.
Quando me lembro dessa época, fico a pensar; que bom seria se não precisássemos mentir mesmo que fosse de brincadeira ou para evitar uma briga entre pessoas que amamos. Hoje parece ser politicamente correto mentir e alguns o fazem até em nome do Senhor, o que é bem pior. O Senhor mandou, O Senhor me revelou, O Senhor me orientou e vai-se em frente.
Jesus disse para os judeus agarrados a sua soberba, que eles eram do diabo, (Jo 8:44) "Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira"
No Salmo 5:6 encontramos: "Destruirás aquele que profere mentira” e no Salmo 11:3 “Na verdade, que já os fundamentos se transtornam; o que pode fazer o justo?”
Os fundamentos estão apodrecidos. Claro que quando o Apóstolo Paulo fala dos fundamentos da igreja, refere-se a igreja do ponto de vista espiritual e doutrinária; naturalmente, deveria ser também,  o fundamento social da igreja porém, a cada dia que passa temos que conviver com uma indigesta realidade:
É duro quando um irmão descobre que o outro lhe mentiu.
É duro quando um liderado descobre que o seu líder mentiu.
É duro quando o pastor mente para sua ovelha.
É duro quando o marido mente para esposa.
É duro quando o(a) filho(a) mente para os pais.
O caminho inverso das durezas acima, também são, naturalmente, indigestas.
Até quando!!!?. Poder-se-ia mudar mudar esse "status quo"? Podemos  nos esforçar para mudar tudo que compromete a nossa relação com Deus e com o próximo.
Felizmente JESUS vem breve.

domingo, 10 de abril de 2011

ENFIM, JUBILADO EM 03/04/2011.

Após 45 anos de cooperação, 35 anos de efetivo trabalho como obreiro do Senhor, dirigindo igrejas, veja perfil, entendi que era hora de parar.

Não foram tantas gerações, penso que duas apenas, pois, tive a felicidade de efetuar cerimonias de casamento e anos depois, os pais me procurarem e pedir para realizar a cerimonia de casamento dos filhos. Isso nos torna pessoas felizes como pastor, entre outras. Por mais que se diga que a família é a primeira igreja, nesses trinta e cinco anos, não consegui desplugar da igreja, da responsabilidade de fazê-la caminhar em todos os sentidos. Deitar-me pensando e acordar orando por ela, pelo crescimento, pelos problemas da membresia, principalmente daqueles que não tem a mesma sorte nas conquistas sociais. A luta para mante-los sob o sol da graça de Deus que preenche todas as carências. 

Foram anos de puro idealismo, de ânimo pronto, porém, consegui fechar esta etapa com a família em pé, adultos, cônscios dos deveres sociais e religiosos. Cônscios da vinda de JESUS. Os 64 bem conservados, faz com que muitos digam não entender a minha atitude e os que me conhecem, dão-me razão. Melhor parar agora que amanhã pela mão de outros que digam: Tá no bico do corvo, precisa parar. Me sinto feliz porque servi com lisura, com honestidade, mesmo em apertos financeiros, minhas mãos não se sujaram com dinheiro que não me pertencesse. Trabalhei com dignidade, servindo ao Ministério do Belém - São Paulo. Ganhei muitas vidas, e ainda quero ganhar, para Cristo. 

Não se deixa de ser pastor por conta de jubilação. É como um código genético, a marca de Cristo. 

Fiz muitos amigos, muitas hoje, senhoras casadas que vi crescer que me tratam e assim as trato, com carinho e respeito. Inimigos? Nunca se sabe, pois estes, vivem escondidos sob a capa de bons amigos. Melhor não identifica-los. Agradecimentos? Muitos.

Ao Pastor Cícero Canuto de Lima, em memória. Pensei que fosse uma barreira inexpugnável pelo modo sisudo com que recebia e tratava as pessoas. Com ele, o contato era pouco mais prazeroso, quando ia ao Belém na antiga Alcântara Machado, receber a ajuda financeira do meu Avô, pastor, que pela idade, já não podia se dar ao prazer de visitar sua igreja mantenedora. Pastor Cícero tinha um grande coração, honesto, meticuloso e não abria mão da boa doutrina da Palavra de Deus. Havia uma linha de parentesco com ele.

Pastor José Wellington B. da Costa. Pastor Presidente da igreja,  em exercício. Todo homem público, fica em extremo exposto. As críticas batem forte, porém, ele se mostra mais resistente a medida que o tempo passa. Conheci o Pastor José Wellington, ainda presbítero em Vila Espanhola, bairro da zona norte de São Paulo. Nunca busquei muita aproximação porque, Cristo foi formado em minha vida na segurança que recebemos o que podemos administrar. Tive a oportunidade de conhecer o tamanho do seu coração e respeito pelos que com ele trabalham. Tive a oportunidade de ser ajudado em tempo oportuno. Foi uma única vez, porém, guardo na memória e no coração. Sei que muitos não pensam igual pois o Belenzinho recebe pastores de todos os quadrantes do Brasil, principalmente do norte/nordeste que buscam-na como socorro e nem sempre todos são atendidos por motivos óbvios.

Pastor Valdir Nunes Bícego. Dispensa comentários. Com ele, tive melhor aprendizado em como tratar a igreja com fidalguia, respeito e amor.

Pastor José Prado Veiga, pastor regional,  que soube compreender o meu pedido de jubilação e conduziu a questão para que tivesse um "gran finale". A ele, minha gratidão.

As igrejas em que trabalhei: Jardim Primavera, Bairro do Limão, Vila Carolina, Pirituba, Vila Miriam, Jardim Vista Alegre, Parque Pedroso e por último, Vila Lucrécia, por quase sete anos. Estes, tornaram o último culto, uma verdadeira festa espiritual. Com especial agradecimento aos jovens e adolescentes. Figuras notáveis.

A minha esposa, Edna, criada no evangelho, filha de pastor e depois, esposa de pastor, por sua paciência, por vezes, a beira da explosão por ter que dividir o marido com tantos. A ela, dedico estes últimos anos, quando ainda me sinto forte para correr e brincar como jovem. Não queria entregar para ela, um marido com Mal de Parkinson, Alzheimer ou safenado.

Aos meus filhos, genro, nora, netas, principalmente os filhos; que elevado nível de compreensão.

A Deus, não abro mão dele e espero que ele nunca abra mão de mim  e ao seu filho JESUS CRISTO que nunca se importou com minhas fraquezas sempre soube me receber e ainda hoje, me recebe, quando falo com ele. Que grande amor ele tem por nós.

Finalmente, aos novos amigos, os blogueiros que me acompanham, um grande beijo a todos.

domingo, 3 de abril de 2011

A BÍBLIA É MACHISTA, DEUS E JESUS TAMBÉM.

Resolvi escrever sobre este assunto porque, não obstante ter ouvido por muitas vezes a afirmação que a Bíblia é machista, percebi que Deus também é machista e Jesus também foi. Tomando o Gênesis como ponto de partida, digo que o SENHOR deveria ter criado a mulher a sua imagem e semelhança, ter percebido que não era bom que a mulher ficasse só e como causa dessa preocupação, fizesse o homem como ajudador da mulher. Caso isso acontecesse, certamente o avental seria o equipamento de trabalho do homem e a mulher estaria na montanha quebrando e carregando pedras. Pelo menos isto seria politicamente correto?
Em Gên. 12, Deus chamaria Sara e far-lhe-ia promessa dizendo: Sara, sai da tua terra e da tua parentela e vai para uma terra que eu te mostrarei e farei de você uma grande nação. Assim, teria começado a história dos Hebreus.  Com esse encaminhamento, apesar do homem não ter um útero, caberia a mulher dizer para ele, em que momento ela daria luz a Isaque e Abraão seria todo sorrisos, depois de passar pela humilhação da infertilidade. Quem seria circuncidado?  Lembrando Moriá e conhecendo o tamanho da emoção e do sentimento de Sara, ela levaria Isaque a Moriá como fez o Patriarca Abraão?
Moisés sentiu pesado o seu cargo, porém, seguindo o conselho de Hobabe ou Jetro, seu sogro (Nm. 10 e sgts) fala com Deus que numa demonstração de puro machismo, manda Moisés escolher 70 anciãos para ajuda-lo. Até Moisés se enrosca nessa questão (Nm.13). Na organização do Estado Teocrático, apenas homens da tribo de Levi são escolhidos para o serviço sacerdotal. As sacerdotisas que existiram nos "templos sagrados" entre os povos, ou eram vestais(1) ou prostitutas e essas escolhas não tinham qualquer relação com o Deus da Bíblia.
Chegamos ao período regencial. O primeiro rei, se Deus não fosse tão machista, seria uma mulher e não Saul. assim, elas sairiam para guerrear contra os Filisteus e uma delas, bonita, jovem, franzina, sairia a luta para enfrentar Golias, o gigante de Gate.
Vamos direto para o novo testamento, Jesus nos frustra, pois ao escolher seus primeiros discípulos, que vexame, todos homens, manda uma comissão evangelizadora de 70 e outra frustração;  só homens (Mt.4:12,  9:9, Lc.6:12, Lc.9:1-6 e Lc.10:1-24). Nem vou comentar sobre Paulo que teve a ousadia de ensinar que a mulher devia permanecer calada na igreja (ICo. 14:34). Bem! Com esse comentário, já é possível ter uma macro visão errada da vida e da história bíblica.
O que tem apimentado a briga entre os sexos, é o padrão social estabelecido através da mídia.
Deus não é machista, Jesus não é machista, Paulo não é machista e a Bíblia não é machista.
O que é na verdade ser machista. Deixando de lado os conceitos e as teorias, ser machista é não ter no coração, qualquer sentimento de Deus, não ser filho dele, esses, tratam as mulheres de maneira covarde, agridem porque são incompetentes, sem boa argumentação para controlar as emoções femininas em tempos de crise emocional, defeituosos. Essa categoria sub-humana, forçou a situação em que vivemos hoje, submeteu a mulher as maiores vergonhas, estuprou-as tanto quanto pode e desejou, mandou-as calar a boca na frente das visitas, exigiu que passassem melhor as suas roupas para se tornarem alvo de elogios das concorrentes de plantão, das próprias mulheres. Chamam as outras  de vadias quando perto das suas mulheres e na ausência, babam, arriscam-se a quebrar a cara no poste só para não perder a visão da sensualidade protagonizada pelas próprias mulheres.
Deus fez a mulher para ser ajudadora, para estar ao lado do homem, para dar-lhe o prazer de ter uma família, porém,  para ser amada. Abraão amou Sara, Isaque amou Rebeca, Elcana amou Ana e o "machista" Paulo, deu o mais belo e profundo conselho aos homens; "Maridos, amai vossas mulheres assim como Cristo amou a sua igreja" teologicamente profundo? "Amar como ao seu próprio corpo", "Porque, ninguém, nunca aborreceu a sua própria carne, antes a alimenta e sustenta" Ef. 5:25-29.
O que dizer da guerra dos sexos?
Is 4:1 "E sete mulheres, naquele dia, lançarão mão de um homem, dizendo: Nós comeremos do nosso pão e nos vestiremos de nossas vestes; tão-somente queremos que sejamos chamadas pelo teu nome; tira o nosso opróbrio".
Que não digam os homens: Não fomos avisados!!!.
As grandes mulheres da história. Verdadeiras heroínas.
Lc. 8:1-3 - Algumas mulheres que foram curadas;  Maria, Joana, mulher do procurador de Herodes e muitas outras que serviram JESUS com suas fazendas.
Lc. 10:38-42, Marta e Maria.
Jo 8:1-11 A mulher adúltera perdoada.
Mt. 26:6-13 Maria, a corajosa mulher que invadiu uma sala cheia de marmanjos e ungiu a Jesus e este disse dela: "Onde quer que o evangelho seja pregado, se fará referência sobre o que ela fez por mim".
E ainda daria para falar sobre as dezenas de mulheres que foram alvos dos elogios do Apóstolo Paulo.
Para fechar esta questão, posso garantir que nenhuma dessas mulheres citadas,  participariam de "reality shows", não diriam publicamente que se masturbaram tantas vezes, como ocorreu recentemente, não levantariam a saia para mostrar o traseiro para o mundo, não tirariam fotos das suas genitálias para ganhar uma porção de dinheiro que não as levará a canto algum. Essa é a guerra suja dos sexos. Quantas vestiram-se de cavaleiros enfrentando tudo e todos e morreram sós, abandonadas em seus apartamentos. Quando a beleza e a graça cai, os amigos caem fora, outras assumem o lugar. A fila anda. Só JESUS valoriza a mulher até a hora da morte.




(1)Mit. Sacerdotisa do culto a Vesta (deusa do fogo dos antigos romanos), que fazia voto de castidade, mantendo-se virgem. cf. C.Aulete.