Tradução deste blog

quinta-feira, 26 de abril de 2012

EBD - PÉRGAMO, A IGREJA CASADA COM O MUNDO.


LIÇÃO 05 – PÉRGAMO, A IGREJA CASADA COM O MUNDO.
Para o dia 29/04/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – PÉRGAMO O TRONO DE SATANÁS.
II – A ESPADA DE DOIS GUMES.
III – O DESTINATÁRIO.
IV – AS HERESIAS DE PÉRGAMO.


Em tempo: Importante que o professor tenha o domínio da sua classe e tenha cuidado. Há professores que sob a alegação de promover interação entre os alunos, solta a classe nas discussões de grupo e acaba perdendo todo o tempo de ensinar a preciosa Palavra do Senhor.
Considero esta carta como um grande novelo de lã com várias pontas e cada um puxa o que acha mais acertado ou coerente. Penso que basta extrairmos as preciosas lições para aplicação pessoal visto que, não acredito que uma lição tão rica como essa, vá mudar os rumos das igrejas de hoje. Os interesses se sobressaem. Permita Deus que esta lição possa quebrar todo orgulho existente no coração da maioria das lideranças evangélicas.
Apesar da declaração do Senhor que as portas do inferno não prevaleceriam contra a sua igreja e isto ficou provado, pois, a igreja atravessou sufocada, a Idade Média, superou as heresias papais na reforma e agora temos o grande desafio que as igrejas se resguardem do mundanismo cada vez mais evidente em muitos cultos.
Perceba que quando falo de igreja no plural, refiro-me a cada grupo existente sob os mais variados nomes ou títulos.


I – PÉRGAMO O TRONO DE SATANÁS.
O autor já descreve no texto, aspectos geográficos, políticos, econômicos e religiosos da cidade. Na verdade, as muitas publicações sobre o assunto, desenvolvem muitas ideias sobre o “trono de Satanás”. Fiquemos com o que isso possa representar dentro da igreja.
1.1          PÉRGAMO, A CIDADE DOS LIVROS E DA IGNORÂNCIA ESPIRITUAL.
A cultura é algo que enobrece um país ou uma cidade, todavia, o perigo é grande; quanto mais conhecimento, maior a entrega ao culto à personalidade, as pessoas tendem a buscar à super valorização do eu. A total falta de conhecimento é igualmente perigosa por permitir que as pessoas sejam usadas nas mãos de gente inescrupulosa.
O conhecimento amparado na Palavra de Deus mantém o homem equilibrado tanto dentro de si mesmo como entre pessoas no convívio social, principalmente e mais importante, dentro das igrejas. Não há nada mais prazeroso que você encontrar um irmão com elevado nível acadêmico que não fica parolando e vomitando a sua sapiência em cima dos ouvintes.

1.2          A IGREJA DE PÉRGAMO.
O autor faz referência a Atos 20:31 texto que descreve o tempo em que Paulo se ocupou da Asia Menor, pela sua importância, no comércio, na economia e na cultura. As brasas se espalharam e Pérgamo, certamente, foi alcançada por Paulo. Perceba que muitas outras cidades, não são alvos de comentários tão significantes como por exemplo a igreja de Éfeso que se considerarmos o ambiente fora da igreja, diríamos que Éfeso, não era o trono de Satanás mas o seu quartel general.

II – A ESPADA DE DOIS GUMES.
2.1 A espada afiada de dois gumes.
A espada é sempre uma referência a Palavra de Deus em ação, mas, infelizmente, tem muita espada, noutro sentido, enferrujada que ao invés de cortar tudo o que represente dano à igreja do Senhor, ela massageia o ego.
Apenas como exemplo, já citei em outros artigos, que não sou inimigo mortal de futebol ou qualquer outro esporte, mas, acho muito esquisito, pastores, homens do altar, viverem o tempo todo esbanjando preferências por este ou aquele time de futebol. A parte, fica a discussão que somos seres sociais, pois hoje, há mais de social nas igrejas que de espiritual. Os homens de Deus que empurraram esta obra do Oiapoque ao Chuí conseguiram, porque a inclinação deles era para o espírito. Assim, no descuido, Satanás vai estabelecendo o seu trono em muitas igrejas.

2.2 Manejando bem a espada do Espírito.
Manejar bem a espada do espírito não é encher-se do conhecimento de grego e hebraico de tal maneira que a igreja fique de boca aberta, não por perceber que o seu pastor é homem de sabedoria, mas, por não entender porque tanta citação, mesmo sabendo que deles, nasceram os textos sagrados.
Manejar bem é não ter respeito humano nem interesses impeditivos a pregação da palavra.  O mundo vai de mal a pior, mas, o púlpito, precisa manter-se íntegro. Os interesses pessoais não devem ser agentes limitadores da verdade. Claro está que é ruim, ver um pregador que usa o púlpito para desaguar seu ponto de vista. Paulo exortou Timóteo que se apresentasse diante de Deus como obreiro aprovado, que maneja bem a palavra da verdade, IITm 2:15. O púlpito não poder ser nem estar corrompido.
Neste momento, vale lembrar o profeta Micaías, filho de Inlá IICr 18.
O fato de não estar ali  junto com os 400 profetas, significava que ele era um homem de caráter e não aceitava falsificar a Palavra do Senhor por causa do conforto palaciano.
Dê-se um prato de comida a um homem e ele se tornará teu servo.


III – O DESTINATÁRIO.
3.1 Um anjo numa cidade infernal.
Acho engraçado, a gente ler uma lição como esta e praticar atos contrários a Bíblia e nem falo de crentes e sim de anjos.
O autor diz que o paganismo não ficou restrito a Pérgamo. “Nestes últimos dias o Diabo vem repaganizando o mundo através dos meios de comunicação. Há um panteão em cada praça”.
Percebi com tristeza, nesta última comemoração da “Páscoa”, pelo facebook que muitos pastores e até líderes nacionais, na televisão, estão desejando uma “Feliz Páscoa para todos”??? Isto é apenas um exemplo, agir como se não conhecêssemos a Palavra do Senhor. O excessivo apego a coisas mundanas, na arte, na cultura e nos esportes, comprometem muito, o papel da igreja no presente século e já, no final dos tempos.
No Facebook é uma festa, nas segundas feiras, os comentários crescem em torno dos resultados dos jogos no dia anterior. E os cultos?

3.2 O testemunho e a perseverança de um anjo.
O obreiro tinha qualidades, mas, e a igreja?
Há igrejas que já guardam as sinfonias para o pastor que entra. As músicas são sempre as mesmas: “Não me toques”, “Fundamos esta igreja”, “Eis a minha família” e “Pastor, aqui está o meu dízimo” entre outras, não menos interessante.
Se você for líder da igreja, ainda se sustenta, mas, se não for, vai ficar rodando de uma congregação a outra, pois, outra canção também conhecidíssima é “O telefone que não para de tocar”.
Sei de cidades interioranas que na segunda feira a ocupação do pastor é informar-se dos cultos em cada cidade. Fiscalização a distancia.

3.3 Antipas, a fiel testemunha.
Foi morta entre “vós” guarde o Senhor, os milhares de obreiros espalhados neste Brasil e no Mundo.

IV – AS HERESIAS DE PÉRGAMO.
4.1 Doutrina de Balaão.
Maravilhoso o comentário do autor. Muitas igrejas estão hoje enfraquecidas pela excessiva tolerância. O caminho da santificação é para cima, íngreme e assemelha-se a quem escala montanhas. Muitas igrejas hoje vivem de expedientes. Se era hábito os crente se ajoelharem antes do culto para um momento de adoração e súplica, na maioria das igrejas, é o momento para um bom bate papo.

4.2 A doutrina dos nicolaítas.
Já falamos sobre esse grupo que na igreja de Éfeso, não tinham muito espaço, a igreja os aborrecia, mas, em Pérgamo, eles eram tolerados. Ao escrever ao anjo da igreja, o Senhor está dizendo que a responsabilidade pelo bom andamento e pureza na obra, são de inteira responsabilidade do pastor. Sinto muito, não temos como mudar essa verdade. Quem não se sente a altura, já sabe o que deve fazer.
 Que tribulação para os fieis da igreja de Pérgamo.
Quem não era mundano, era soberbo e dominador.
Que o Senhor tenha misericórdia das muitas que existem neste Brasil.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

DESCRENÇA NO USO DOS DONS. (Texto completo)

Não vou me deter muito neste comentário.
As pessoas sérias que tem profunda convicção daquilo que recebeu de Deus pelo seu Espírito, não deveriam ficar desanimados por conta do desprezo a que são alvos frequentes ou das críticas quando chamados de carnais ou crianças espirituais.

A descrença e a apatia decorrem de dois fatores:
1) Excessiva racionalização das coisas espirituais -  Há pessoas que vivem anos na igreja, leram a bíblia de capa a capa, inúmeras vezes,  fazendo desse bom hábito, uma maratona,  todavia, desprezam a essência da mesma. Os dons são a essência, o olor da Palavra de Deus. Estimular os crentes a que busquem com zelo o batismo com Espírito Santo é mostrar-lhes  que esta é a única porta de entrada para manifestação dos dons espirituais, ICo 12:1-11.  Deus pode excepcionalmente,  usar alguém para manifestar a sua vontade através de um sinal ligado a esses dons, são as exceções que só pertencem a ele; para nós, regras. Assim, esses leitores, tornam-se extremamente racionais, criticam tudo e a muita zombaria que se faz no mercado evangélico, banaliza a mais poderosa ferramenta de trabalho da igreja para alavancar o seu crescimento. Assim, está descrito em Atos dos Apóstolos.
É bom que se saiba que os cinco ministérios, descritos em Efésios 4:11-12, Apóstolos, profetas, pastores, doutores e evangelistas, não invalidam os dons espirituais, todavia, Deus dá esses dons ministeriais de forma completa, como disse Paulo, com demostração de poder para que o evangelho não se apóie apenas em palavras. ICo 2:1-5.

2) O mau uso dos dons.
Já testemunhamos pela imprensa, muitos casos até de morte, por conta de fanatismo religioso e alguns envolvendo o mau uso dos dons espirituais.
Normalmente, pessoas desprovidas de bom senso em relação as coisas espirituais, em tese, sempre abandonam os bons ensinamentos da Palavra de Deus e a igreja, fundando o seu próprio ministério. Já fui testemunha, inúmeras vezes, que quando ensinamos sobre o uso dos dons como o Apóstolo Paulo ensinou a igreja de Coríntios, os "insensatos" se levantam e por vezes tumultuam o ambiente da igreja, sob a alegação de que "o homem está impedindo a obra do Senhor"; esse "o homem" é sempre o pastor da igreja, quando oferece condições de ordem para uso e manifestação dos dons.
A alegação mais comum é a que dizem: "Quando Deus quer operar, não há quem impeça". Esquecem-se que Deus honra a sua igreja e o Espírito do Senhor, não daria duas orientações a igreja, uma pela palavra e outra pelos dons. A Palavra de Deus tem destaque maior na ordem do culto.
Outra questão é a meninice, praticamente inevitável nos rudimentos da vida cristã. 
Quer seja um despertamento na igreja ou um avivamento, carece sempre do apoio bíblico sob pena de não se sustentar por longo tempo e criar fanatismos.
Mau uso dos dons, principalmente os de línguas e profecias, quando prevalecem o emocionalismo.

Essas duas questões racionalismo cristão e o mau uso dos dons, tem afastado muita gente de dedicar-se a receber aquilo que é o ornamento da igreja, o ornamento da noiva de Cristo.

domingo, 22 de abril de 2012

O DISCERNIMENTO ACABOU?


O DISCERNIMENTO ACABOU?
Abr 2012.

Ec. 8:5 Quem guardar o mandamento não experimentará nenhum mal; e o coração do sábio, discernirá o tempo e o modo.

Hb.5:14 Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.

ICo 2:14 Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.


Há muitos conceitos  sobre discernimento, entre eles, é a capacidade interpretar,  de reconhecer e separar; o bom do ruim, o falso do verdadeiro, o joio do trigo. Há porém, dois tipos de discernimento:
DISCERNIMENTO COMO FRUTO DA INTELIGÊNCIA E DO CONHECIMENTO PARA AS COISAS NATURAIS – Inteligência sem conhecimento, não capacita para discernir. Em qualquer tipo de relacionamento no mundo, faz-se necessário que o individuo aprenda a discernir, perceber, as diferenças, sob a pena de pagar alto preço pelo descuido. A experiência também fortalece essa capacidade, o que faz com que toda ameaça seja identificada, antes mesmo de ser concluída. Atitudes, gestos, palavras  ou maneiras, são elementos disponíveis para avaliação.
DISCERNIMENTO LIGADO A ÁREA DO ESPIRITO E DAS COISAS ESPIRITUAIS – Se divide em duas partes:
DISCERNIMENTO PELO CONHECIMENTO DA PALAVRA.
No mundo atual, não dá para o Cristão se descuidar da capacidade de discernir e essa capacidade é inicialmente, produzida pelo conhecimento pleno da Palavra de Deus, como pedra de toque, referencial, o norte, com a qual, podemos compreender o que é certo ou errado, o que é de Deus e o que não lhe pertence.
A Igreja de Éfeso, (Ap.2:2) disse o Senhor:  “puseste a prova os que dizem ser apóstolos e o não são...”  Ora, só pode avaliar, comparar o certo e o errado, o falso e o verdadeiro, se tiver uma cana de medir, Cânon, o conhecimento bíblico suficiente para estabelecer limites entre o que é aceitável e o que não é.
Neste caso, o exame é natural a despeito de muitos dizerem que “não podemos julgar”.  IJo 4:13 “Provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”.

DISCERNIMENTO PELO DOM DO ESPÍRITO SANTO.
ICo 12:7-11, lista os dons espirituais em número de nove e entre estes o dom de discernir os espíritos. Essa capacitação é mais profunda porque, enquanto o conhecimento da palavra mede as atitudes para um julgamento correto, o segundo, vai além do véu, isto é, da carne, permite enxergar o que há por trás da fachada. No interior do homem, uma eventual atuação do espírito maligno, que muitas vezes, invadem os arraiais evangélicos para perturbar os caminhos do Senhor.
Exemplo bíblico disto?
Atos 8:9-18 Simão parecia bem intencionado ao pedir a Pedro o poder que este exercitava em Samaria e pediu a Pedro com oferta de pagamento. “Vejo que estás em fel de amargura” .
Atos 12:8-12 Elimas o encantador, Tratar como Paulo tratou, chamando-o de “filho do diabo” só enxergando por dentro.
Atos 16:16 A mulher com espírito de adivinhação, falava coisas bonitas acerca de Paulo que não perdeu tempo, expulsou logo o espírito que operava na mulher.

Finalmente, temos toda ordem natureza maligna, esfriando a fé de muitos,  invadindo nossas igrejas e somente pelo conhecimento da palavra de Deus e pelo dom do Espírito Santo podemos repreendê-los.

A pergunta que não quer calar é sobre as condições da igreja atual que se vê envolvida em tantas movimentações estranhas e muitos crentes, já não se perturbam mais com nada, sentem-se confortáveis em qualquer ambiente sob a alegação de que Deus está em todo lugar, aproximam-se muito do panteísmo.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

DESCE AO CAMINHO DE GAZA.


Nem todos gostam de andar pelo deserto e principalmente se informados de antemão que o mesmo está deserto, não tem ninguém por lá, pior ainda, se você estiver em uma grande igreja que lhe rende uma vida pra lá de confortável, uma boa roda de amigos, no convívio social, uma obra avivada em livre crescimento, com manifestações de  milagres, curas, e batismos com Espírito Santo. Naturalmente, eu registraria o trabalho em cartório, assumiria a presidência e dali, nunca mais sairia. Prepararia o meu filho e o meu neto, pois afinal de contas, vida entregue ao trabalho, precisa ser preservada até a terceira e quarta geração.

Quem poderia imaginar que DEUS, faria o céu se mobilizar por conta de apenas um homem e não era por conta do seu status de “Ministro das Finanças da Etiópia”, pois, para Deus, tanto faz estar no caminho de Gaza ou na estrada que desce para Jericó. Deus vê o que está do lado de dentro, coisa que nenhum de nós, pobres mortais, podemos ver, salvo, aqueles que com um coração quebrantado e cheio de amor, se coloca na posição de servo para fazer a sua vontade.

Quem poderia imaginar, que um pregador com o potencial de Filipe, com a graça recebida, com o coração ardendo de amor pelas almas, sem contudo, jactar-se do poder que a ele foi confiado, sem usar isso, como elemento de força para alavancar sua vida econômica e social, ouviria a voz do Senhor, deixando a cidade de Samaria onde:
1)      Multidões, unanimemente ouviam a pregação de Filipe.
2)      Espíritos imundos deixavam as vidas livres, clamando em alta voz.
3)      Paralíticos e coxos era curados.
4)      A Alegria era grande, naquela cidade.
5)      Rouba de Simão, o mágico enganador, a possibilidade de continuar enganando o povo.
6)      O trabalho era tão intenso que balançou a igreja de Jerusalém, que mandou reforços.
Será que dá para o Senhor repetir a ordem que acabo de receber? Nada disso!!! Se a obra é realmente de Deus, importa fazer a sua vontade.

Lá no deserto, longe dos olhos dos cidadãos, das possibilidades, do conforto, da igreja, dos amigos, está um homem solitário, pacientemente aguardando o andar da carruagem.

A sua obediência valeu uma alma, uma alma, valeu a cidade para onde ia de retorno ao lar e a Bíblia não registra o quanto esse “Ministro de Finanças”, recém convertido, recém batizado, fez pela causa do evangelho.

A única coisa que sei é que Deus, não está preocupado com a evangelização em massa, ele está preocupado com algum coração que em meio a 6 bilhões de habitantes, pulsa pelo desejo de salvação.

Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Lc. 1

sp2012abr.

terça-feira, 17 de abril de 2012

SEREI COMO DEUS AO JULGAR


Quem lê a Bíblia, sabe perfeitamente bem o que faz separação entre o homem e Deus, sabe pela Palavra do Senhor, quais atos tornam o homem aceito ou condenável diante de Deus.
A rigor, nem preciso pensar em “pecado original” que tem como pano de fundo, a desobediência do homem no jardim do Éden,  registradas em Gn. 3 e que se convencionou chama-lo de  “pecado original” ou seja o que deu origem ao pecado para consumar os demais quanto a espécie de cada um deles: Adultério, homicídio, furto entre outros, além dos pecados morais, a gula, a preguiça, a inveja e etc.
Ao transgredir a ordem de Deus, a humanidade ficou sujeita ao pecado, pela vaidade, Rm 8:20, o mesmo pecado com que pecou Lúcifer  querendo ser maior que o Criador. Deus assim os sujeitou para que no tempo certo ou na plenitude dos tempos,  pelo seu filho, pudesse remir a criatura que estava presa à lei do pecado e da morte. Todos pecaram e assim, foram destituídos da glória de Deus. Rm. 3:23 e  Rm.7:8.
Podemos dividir a humanidade em 3 grandes grupos:
1)      Os que com um coração quebrantado, entregam suas vidas a JESUS, reconhecendo pelo seu amor, o poder de perdoar os nossos pecados, purificando-nos pelo seu sangue e pela lavagem da água, isto é, pela Palavra que nesse sentido,  operam um duplo milagre.
O Sangue purifica o homem do seu pecado, permitindo a sua aproximação com Deus e a lavagem é o efeito da Palavra, limpando-nos de todos os costumes e misérias humanas, enfim, de todos os vícios que vilipendiam o homem, promovendo-o a dignidade de cidadão dos céus.
 
2)      Os que ainda não tiveram um encontro com o Senhor, depende do empenho de cada um nós, de leva-los a Cristo pelo conhecimento do evangelho. Cornélio e Paulo, foram exceção cuja conversão se deu por ação direta do Senhor, o primeiro no caminho de Damasco e o segundo, o anjo do Senhor mandou chamar a Pedro.
 
3)      Os que rejeitam, o amor da verdade para se salvarem2Ts. 2:10-12. Este terceiro grupo, recusa o conhecimento de Deus por interferir na moral humana, condenando seus atos.

Não há prediletos ou predestinados, (Conceito bíblico para predestinação, tem outra conotação).  Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito para que, TODO aquele que  nele crê, não pereça mais tenha a vida eterna, (Jo 3:16, grifo meu) sem a mediação de qualquer personalidade bíblica.
Enfim, a Bíblia tem regras rígidas que não podemos mudar ao nosso bel prazer.
A Bíblia apresenta exceções? Sim de fato a Bíblia apresenta exceções, mas, estas, são exclusivas do Senhor e não podemos lançar mão delas para justificar erros, para condenar ou absolver alguém pelo seu pecado.

Ao se encontrar com a mulher samaritana, por exemplo, JESUS, não ficou tripudiando na condição de mulher de muitos maridos, exceção, levou a mulher a reconhecer a sua bondade e salvação,  tornando-a uma grande testemunha da verdade do evangelho, assim com Zaqueu o publicano e outros.

Vivemos em um mundo tão conturbado e muitas vezes somos o agente dessa conturbação e queremos exercer juízo de valor sobre a criatura humana.

O nosso papel é evangelizar, amar e contribuir moralmente pela conservação da nossa alma e de quem nos assiste.

Não cabe a nós, julgar e condenar, mesmo que o nosso raciocínio teológico seja o mais correto. Céu e inferno, existem, mas, quem tem a chave é o Senhor.

Alguns dizem, mas, temos que julgar, sim, nem se trata de julgar, mas, de denunciar todo tipo de impiedade e de comprometimento a salvação, sem aquele espírito de querer queimar todo mundo. Nem Miguel o grande príncipe do Senhor, lançou sentenças contra Satanás, mas, disse: O Senhor de repreenda Jd V.9
Caso contrário, não seremos filhos e sim deuses.

O julgamento está contido na palavra de Deus e devemos advertir a todos para que busquem refugio no Senhor. Jo. 5:22 e 24.

Rm.8 Agora, pois, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
 
 
 
 
 
 

domingo, 15 de abril de 2012

EBD 04 - ESMIRNA, A IGREJA CONFESSANTE E MÁRTIR


LIÇÃO 04 – ESMIRNA, A IGREJA CONFESSANTE E MÁRTIR.
Para o dia 22/04/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – ESMIRNA, UMA IGREJA MÁRTIR.
II – APRESENTAÇÃO DO MISSIVISTA.
III – AS CONDIÇÕES DA IGREJA DE ESMIRNA.

Em tempo: Das sete cartas, todas com alguma censura da parte do Senhor ao anjo dessas igrejas, duas se destacam de forma singular, por não haver qualquer reprimenda: Esmirna e Filadélfia.
A primeira seria chacoalhada por grande perseguição em seu território, já, a igreja de Filadélfia, estaria entrando em um cenário de crise e perseguição de caráter mundial e escatológico.
É comum as pessoas me perguntarem se todas as igrejas são iguas ou há diferenças, achando que pelo fato de ter passado por algumas, tenha a resposta.
Tecnicamente, as igrejas se diferenciam em vários aspectos, mesmo sendo da mesma denominação e ministério. Há duas questões fundamentais para entendermos isto:
A primeira questão está basicamente nas orientações recebidas quando da sua fundação como igreja ou ajuntamento. Elas tendem a manter o ritmo inicial. A segunda é a variação sofrida pela visão que cada pastor tem. Bom seria se houvesse um ensinamento alinhado ao pensamento do ministério, mas, isso não acontece e quanto maior a denominação, maiores as diferenças.
Filadélfia se completa com Laodicéia como se representassem um único período final. A primeira de crentes fieis, batalhadores, pacientes e esperançosos e a segunda de crentes, frios, materialistas, soberbos, que se acham muito importantes e ricos e caem em desgraça pela reprovação consignadas pelo Senhor.

I – ESMIRNA, UMA IGREJA MÁRTIR.
Excelente comparação o autor faz na introdução desta matéria: Se Laodicéia é a cara do mundo, Esmirna é o rosto de Cristo.

1.1        Esmirna, uma cidade soberba.
A Mirra que significa amargo era um dos principais produtos da sua economia, juntamente com o porto, faziam da cidade um elo importante no escoamento de mercadorias e de ligação comercial. Na Bíblia, a mirra está associada a Cristo em dois grandes momentos: Como um dos presentes dados pelos magos e na cruz, tendo recusado beber a mistura, para aplacar a dor lancinante. Assim, associa-se a igreja por suas lutas, a mirra produzida, uma vida amarga, cheia de tribulação que o autor considera como figura de “uma igreja confessante e mártir”.

1.2        A igreja de Esmirna.
Como as demais cidades da Ásia Menor, Esmirna é fruto do movimento apostólico protagonizado por Paulo e seus companheiros. Quando o Senhor a descreve como igreja pobre, no sentido econômico, nota-se que os crentes de Esmirna, não eram oportunistas e isso é sempre sinônimo de oposição à sociedade opulenta, interesseira e materialista, porém, sua riqueza estava na fidelidade a Deus.
Os crentes que hoje lutam pela fidelidade, abrem mão de muitas oportunidades, de ganho fácil e amizades que aparentam grandes resultados econômicos, causa do sofrimento de muitos.
O autor menciona Policarpo e assim foi este nobre servo de Deus, um dos mais notáveis bispos de Esmirna que pagou com a própria vida, sua fidelidade a Cristo. Muitos hoje preferem a política da boa vizinhança.

1.3        Esmirna, confessante e mártir.
Observe o comentário do autor, e considere ainda que nos dias atuais, está a disposição da igreja duas formas de vida, dependendo da nossa escolha: Se nos mostrarmos amigos do mundo, o mundo fará de conta que nos ama e vai nos levar em “banho maria” com elogios e aplausos a nossa atitude convenientemente confortável. Se começarmos a atacar o mundanismo e a pregar o evangelho com veemência, o mundo mostrará a sua verdadeira cara. Tudo uma questão de escolha. Tiago disse que quem quer ser  amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus, Tg 4:4.
Hoje temos aí, grupos que abraçam o ecumenismo, agora, com nova cara e nova nomenclatura: “Gospel”. Tudo é Gospel.
Não sou contra qualquer grupo evangélico, mas, tem aí um café com pastores que não separa joio do trigo. O que importa é ser amigo da casa.



II – APRESENTAÇÃO DO MISSIVISTA.
A Bíblia diz que ele (JESUS) não teve por usurpação o ser igual a Deus, portanto ele pode perfeitamente subscrever a sua carta a igreja como sendo o Primeiro e o Último.

2.1 O primeiro e o último.
Faça uma leitura rápida desse tópico. Muito interessante a abordagem.
PRIMEIRO = Por que não houve ser comparado a ele, ungido com óleo de alegria mais que qualquer dos companheiros e o Pai ainda manda que todos os seus anjos o adorem Hb.1:4-9. A ele, pois, TODA GLÓRIA.
ÚLTIMO = Todo o poder foi-lhe entregue no céu e na terra. Mt. 28:18. Jesus ainda não reinou convenientemente para mostra a esse mundo perdido quem realmente ele é. Isto ele fará no milênio juntamente com a sua igreja. Hoje o mundo deveria abrir o coração para conhece-lo pela fé como nós por sua graça e bondade, o recebemos.
No juízo final, ele não precisará julgar, pois suas palavras já tem julgado o mundo porquanto não crêem nele. O juízo final será para sentenciar o pecador.

2.2 Esteve morto e tornou a viver.
Mt. 10:28 sustenta o que o Apóstolo Paulo escreve na carta aos Romanos 8:18 “... As aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada”.
A maior vitória do cristianismo está na ressureição de JESUS; é a garantia de que cremos em um Salvador vivo e que nos dará o escape e uma grande vitória na hora da tentação que há de vir sobre o mundo.
Assim como Jesus venceu, também nos garante vitória, mesmo que essa vitória exija a nossa pele em sacrifício.


III – AS CONDIÇÕES DA IGREJA DE ESMIRNA.
3.1 Tribulação.
O autor considera a nossa tribulação, um legado que recebemos do Senhor Jesus. Pode ser que alguém lendo rapidamente, não entenda o que o autor quer dizer com isto. O evangelho traz consigo, a certeza da perseguição, porém o Senhor nos chama de bem aventurados Mt. 5:11. Os ensinamentos bíblicos no tocante a esse legado, contraria toda falácia dos pregadores modernos que insistem em oferecer aos crentes um evangelho de prosperidade.
Em Jo 16:33 está registrado o que Jesus disse: “No mundo tereis aflições, mas, tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

3.2 Pobreza.
“Conheço a tua pobreza, mas, tu és rico”.
Pergunte aos seus alunos se essa afirmação encontra eco nas pregações fantasiosas que ouvimos freqüentemente na televisão.

3.3 Ataques dos falsos crentes.
O que o autor descreve neste ponto e adverte para os acontecimentos do nosso tempo, nos permitiria dizer que somos a igreja de Esmirna; o fato de termos pessoas influentes em nossas igrejas, não muda a verdadeira realidade; a pobreza nos ronda, por que não ignoramos o jogo bruto da economia que de vez em quando, facilita o consumismo dando a impressão de bem estar, mas, a sociedade pisa em plataforma de fundo falso, o exemplo ocorrido recentemente na economia americana, fazendo com muitos perdessem suas casas para morar literalmente na rua, mostra o outro lado do poder e da ganancia dos homens.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

SEXTA FEIRA 13 - QUE AZAR

SP13/04/2012, Sexta Feira.
Vivemos em um mundo que desde as suas origens fora do Eden, tem experimentado temores de toda ordem. Não há quem não sinta um friozinho na barriga por conta de uma situação inesperada quando não podemos identificar de maneira rápida, a sua procedência. Os olhos vêem, manda mensagem para o cérebro, porém, uma mensagem indefinida, sem qualquer padrão conhecido. Dá aquele arrepiozinho para logo em seguida, entrar-se em estado de repouso e tranquilizar o interior com a nova mensagem: Nada de mais, tá tudo em paz.

Sempre que tratamos de certos assuntos, logo aparecem as exceções, mostrando que a situação não é bem essa, todavia, um número incontável de pessoas não entrariam em um cemitério, sozinhos,  a noite. Ainda que libertos da velha natureza por Cristo, trazemos na natureza humana, um certo ranço, difícil de ser expurgado, obviamente, reconhecendo as exceções, pois tem pessoas que declaram até pisar o Diabo e isso por que não tem a mínima noção de quem ele realmente é.

O medo é algo tão comum na vida do ser humano que em igrejas pentecostais, quando o culto está aquecido e alguém, começa a falar: "Meu servo..." já tem gente se escondendo na sua caverna, mesmo sem qualquer culpa no cartório. Digo o que já presenciei inúmeras vezes.

Não me preocupo com o que pensam os crentes incrédulos, mas, tive encontro inesperado com pessoas possessas, felizmente, nunca fiquei envergonhado, todavia, já estive em situações que teria desejado, não estar presente. 

O mundo está carregado de coisas negativas, alimentadas pelo próprio homem. Há muitos que procuram igrejas, na busca de se livrar de infortúnios, de temores noturnos, de maldiçoes, inclusive as chamadas hereditárias que de hereditárias só tem o medo, de sexta13, de gato preto, de passar em baixo de escada e uma centena de outras coisas ligadas a superstição,  a baixa cultura e a um espiritualismo desordenado.

Muitos recorrem aos diversos sortilégios, aos galhos de arruda, cartomancia, horóscopo com o exagero da mais absoluta obediência sobre os seus aconselhamentos.

JESUS liberta o homem de todos os seus temores.
Não liberta apenas da servidão do pecado. Liberta dessas crendices, liberta para dar descanso a alma, pois somente ele, nem santos ou anjos podem dizem como: VINDE A MIM, TODOS OS QUE ESTAIS CANSADOS E OPRIMIDOS E EU VOS ALIVIAREI", Mt. 11:28.

Tenho que admitir mesmo chateando a muitos, que alimentar crendices populares impopulares, temores noturnos buscar soluções em caminhos obscuros como horóscopo e nisso se inclui o vício de ir orar com quem apresente dons espirituais, é a maior demostração de falta de confiança plena em JESUS.



domingo, 8 de abril de 2012

EBD 3 - ÉFESO, A IGREJA DO AMOR ESQUECIDO


LIÇÃO 03 – ÉFESO – A IGREJA DO AMOR ESQUECIDO.
Para o dia 15/04/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – ÉFESO, UMA IGREJA SINGULAR.
II – O PROBLEMA DE ÉFESO.
III – VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR.
IV – LEMBRANDO-SE DO PRIMEIRO AMOR.

Em tempo: Na escola onde fiz o colegial, havia na secretaria a seguinte máxima: “VOCÊ TRAZ A SOLUÇÃO DO PROBLEMA OU FAZ PARTE DELE?”.
Ao comentar uma lição como esta, sem qualquer dúvida, os alunos habituados a criticar, dirão que a igreja de hoje não tem amor. Não ignoramos o momento pelo qual passamos como também não podemos nos esquecer das palavras do Senhor quando nos preveniu: “E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará”. Mt. 24:12.

Diante disso, o professor não deve permitir que o seu tempo seja queimado com discussões intermináveis, cujo objetivo é muitas vezes levantar polêmicas e atrapalhar o bom andamento da aula.

Outra questão importante é que tem pessoas que falam muito e não fazem nada. Isso não vai mudar a nossa história. O que podemos e devemos pelo menos tentar fazer é mudar as coisas possíveis, na busca de um melhor relacionamento dentro da igreja e pedir graça para orar pedindo ao Senhor que nos ponha diante do aflito e necessitado e quando isto vier acontecer, façamos como o sacerdote e o levita, esquecidos.  Guarde-nos o Senhor.

I – ÉFESO, UMA IGREJA SINGULAR.
1 a 3 – Paulo em Éfeso, a solidez doutrinária e a excelência dos ministros ali estabelecidos.
Se Atos 18:19 é a porta de entrada de Paulo em Éfeso e podemos concluir que a partir dessa sua primeira visita, constituiu a Igreja do Senhor na cidade, os primeiros a cuidarem das almas, foram Priscila e Áquila que foram encontrados por Paulo em Corinto, At.18:1 e a partir desse encontro, caminharam juntos passando pela Síria, em Cencréia, foi com eles até Éfeso, tendo-os deixado ali.
Mais tarde, veio somar em Éfeso, APOLO, judeu, natural de Alexandria que Lucas o retrata como varão eloquente e poderoso nas escrituras. Certamente, coube a Apolo com o apoio de Aquila e Priscila que demonstravam maior conhecimento doutrinário, pois estiveram com Paulo, não sabemos precisar quanto tempo, ampliar as tendas  em Éfeso.
Na terceira viagem (Atos 19) e por dois anos, Paulo prega em Éfeso e o efeito das suas palavras foram tão contundentes que causou grande prejuízo aos comerciantes vendedores de quinquilharias e nichos da deusa Diana, sentindo-se prejudicados, partiram com tudo para cima do apóstolo, jogando a cidade e as autoridades contra ele. Assim, Éfeso experimentou o melhor do avivamento em toda Ásia, batismo com o Espírito Santo, milagres, conversões e o néctar da doutrina cristã: Eleição e predestinação (em Cristo) para filhos de adoção, salvação pela graça, vocação dos gentios e ministérios entre outros.
Éfeso experimentou o pastorado de grandes obreiros como Timóteo, ITm.1:3 já com instruções dadas por Paulo a que advertisse a alguns que não ensinassem outras doutrinas e depois, Tíquico, Ef. 6:21 e  2Tm.4:12, já sentindo grande aperto e o abandono de alguns companheiros, Paulo chega a Mileto e manda chamar os anciãos da igreja, para fazer um dos mais belos discursos apologéticos da sua carreira, com isso, vê-se a importância da igreja para o apóstolo.
Ainda hoje, sempre que uma igreja recebe um novo pastor, os olhos dos irmãos brilham, na expectativa que o sucessor seja sempre melhor que o sucedido. As vezes isso acontece e outras vezes não. Isto é lamentável.

II – O PROBLEMA DE ÉFESO.
1 a 3 Um grave problema, perda do primeiro amor e amnésia do amor.
É bom lembrar que os estudiosos do Apocalipse, procuram estabelecer uma relação entre cada igreja com cada período da vida da igreja ao longos dos séculos da sua fundação. Na verdade, quando lemos a história da igreja, do início a idade média, Da idade média ao renascimento e a contemporânea, principalmente os nossos dias, parece ter mesmo uma relação importante e outros simplesmente estudam cada carta associando-as as diversas situações da igreja, independente de tempo.
Parece ser mais útil olhar dessa segunda forma, pois cada uma delas, tinha um problema especifico.
Qualidades:
Disse o Senhor: “Eu sei as tuas obras” diga aos seus alunos, que nada foge ao controle do Senhor, portanto, nenhum de nós, precisamos nos antecipar em justiça, pois ele JESUS, anda no meio dos sete castiçais, ou seja no meio das igrejas onde quer que ela esteja estabelecida. Nada impede, todavia, que nos posicionemos com cautela diante de tudo que estiver sendo ensinado.
Trabalho, paciência, repúdio ao mal, avaliavam o caráter dos que se diziam serem apóstolos. Percebam que muitas igrejas nossas,  possuem essas características.
MAS, disse o Senhor: “Deixaste a tia primeira caridade” Ap.2:4.
Nem precisaríamos comentar mais nada. Uma igreja ou um crente em particular que tenha perdido sua primeira caridade, está segundo as palavras do Senhor, “caído”
Quais os principais sintomas da perda da primeira caridade:
1)   Perda de prazer em orar e ler a Bíblia.
2)   Perda de prazer em congregar-se.
3)   Perda de atenção com os necessitados.
4)   O Espírito do Senhor, não balança mais o coração como nos primeiros dias em que tudo era para o Senhor em primeiro lugar.
5)   A vinda de Jesus, em função da vida prática, parece não ter tanto sentido.


III – VOLTANDO AO PRIMEIRO AMOR.
ICor 13:3 Paulo mostra a importância do amor diante de tudo o que fizermos de bom. Não conhecemos uma igreja na atualidade, perfeita em amor porquanto, ela é formada por pessoas imperfeitas. O que nos aproxima da perfeição e permite que façamos alguma coisa boa, é o amor de Cristo derramado em nossos corações.
Se houvesse igreja perfeita, alguns dons não teriam tanta eficácia, daí, a razão da igreja não desprezar qualquer deles.
Permita o Senhor que voltemos ao primeiro amor no mais puro sentido.

IV – LEMBRANDO-SE DO PRIMEIRO AMOR.
Lembrar de como éramos no início da nossa fé, analisar em que tempo, as coisas de Deus passaram a não significar mais que os nossos interesses pessoais:
Ter uma ótima casa.
Vestir-se da melhor maneira possível, nunca estando satisfeitos.
Preocupar-se demasiadamente com a nossa aparência, culto ao corpo.
No caso das mães, não confiar definitivamente em Deus, para educar seus filhos de maneira bíblica.
Dividir o nosso tempo com amigos tornou-se mais prazeroso que ir a igreja.

Finalmente, lembrar-se de como essas coisas substituíram o nosso amor por Cristo quando ele era TUDO para nós e nós TODO para ele. Até o prazer de evangelizar, distribuir literatura, desapareceu das nossas vidas.

sábado, 7 de abril de 2012

PR. SILAS MALAFAIA, PARABÉNS.


Ouvi a sua fala no programa do dia 07/04/2012 apresentando as denúncias contra a sua pessoa ao juízo deste país livre e democrático perpetrada pelo ativismo gay. Ouvi surpreso e indignado à propositura do procurador da república, quando diz com estas ou outras palavras que os evangélicos são potencialmente assassinos de gays ou responsáveis. Vi como manipulam as falas descontextualizando-as para perigosamente mostrar o que não foi dito como forma de levar o judiciário a erros de julgamento, deturpando o seu sentido, pois na língua portuguesa, creio que uma das mais ricas deste planeta, uma expressão ou um período de oração, pode ter vários sentidos, dependendo do contexto. Vamos aos fatos que me levam a parabenizar o Pastor Silas Malafaia, independente se gosto do seu jeito ou não, se o admiro ou não. Isso é outra história.
1)      “Baixar o pau”  ou  “descer o cacete”, na maioria dos discursos, diz respeito a forma veemente com que se fala contra alguém ou alguma coisa e geralmente, nunca é falando bem, todavia, nada tem a ver com violência cujo discurso seria outro.

2)       Na atual conjuntura, ficar calado, dar uma de bom moço, não funciona, pois eles não param de tentar implantar uma ditadura cujo objetivo é amordaçar a igreja do Senhor, com vistas a proibir até leituras bíblicas que falem contra a perversão sexual como em Romanos 1:21-32 e atentar contra a educação familiar tradicional, pois já tem juiz  julgando culpada uma criança,  vítima de abuso sexual,  sob a alegação de vida prostituída. Pasmem!


3)       Está previsto para o dia 08 de abril 2012, a realização de um concurso para escolher o jesus (este, escrevo com letra minúscula) mais sensual, no “Hunky Jesus Contest” promovido e organizado pelo grupo “The Sisters of Perpetual Indulgence” “As irmãs do Vício Perpétuo”,  em São Francisco, Ca, nos Estados Unidos, (fonte: Blog do Julio Severo). Aqui já desfilaram usando símbolos usados pela Igreja Católica, ou seja, danem-se os religiosos ou a religião, mesmo que digam que a intenção não é ofender.  Simplesmente, criticam, zombam de todos os valores, religião ou família e não aceitam qualquer crítica.

4)      Quanto a afirmação infeliz do Procurador da nossa República que os evangélicos são perigosos, só pode significar que ele não é deste planeta senão, vejamos:
Segundo o IBGE, somos mais de 40 milhões correspondendo a aproximadamente 22% da população brasileira.  Considerando mulheres e crianças, podemos garantir que no mínimo 30% dessa população, foram tirados das beiras de balcão de bar, do vício da bebida do tabaco e de outras atividades pouco ou nada  honrosas. Homens violentos, lares destruídos.  Nenhuma instituição fez mais pelo Brasil que as igrejas evangélicas, independente da bandeira.

5)      Nem mesmo em torcidas organizadas dos times de futebol, você vai encontrar evangélicos ou cristãos ativos, “baixando o pau” mesmo sabendo que pela representatividade, já existem alguns malucos no nosso meio, porém, nossos malucos são tranquilamente controlados pelo Espírito de Deus e pela sua Palavra, anunciadas nos púlpitos das nossas igrejas.
6)      Mesmo sabendo que até a vinda do Senhor, muitos atos e perseguição contra a igreja e seus valores ainda serão levados a cabo, penso que nesta hora, devemos valorizar os que lutam pela causa da verdade e como cristão e membro de uma das maiores igrejas evangélicas do nosso país, me sentiria honrado em ver nesta hora, todos os programas evangélicos, tecendo pelo menos uma linha em apoio ao Pastor Silas Malafaia. Depois, a gente “desce o cacete nele” e nas doutrinas que não apoiamos e nas atuações dos pastores americanos que vem em socorro do seu ministério para difundir o que repudiamos doutrinariamente.
O presente texto, esta publicado no meu Blog,  salvo em meu HD e preservado em papel, para o caso de qualquer dano na mídia.



sexta-feira, 6 de abril de 2012

BEBA UM COPO COM ÁGUA E FIQUE CURADO

A água é a fonte da vida de todo ser que respira incluindo-se o vegetal. . O nosso planeta é formado por continentes e mares. A principio, as águas dominavam tudo até que Deus determinou que houvesse uma expansão no meio das águas (Gn.1:2-7).  Além dos grandes mares de águas salgadas, temos as reservas de águas doces, nos rios, lagos, nos lençóis freáticos e nas geleiras. 
Todo estudante aprende que a água é composta dos seguintes elementos: 2 átomos de hidrogênio e 1 de oxigênio representada pela fórmula química, "H2 Ó" além de ser, quando pura, inodora, incolor e sem sabor, Nosso organismo é composto de 70 a 75% de água.

À água, quando a ela se agregam outros elementos químicos encontrados na própria natureza, ela adquire efeito benéfico a muitos tipos de enfermidades, principalmente doenças da pele. Isso tem comprovação científica. O hábito de beber uma boa água, produz excelentes resultados no organismo revitalizando-o.

A água é vida para tudo e o planeta vive hoje sob ameaça da sua falta. Isso é de estranhar.

O que pretendo abordar aqui, não são os benefícios da água do ponto de vista da combinação com o organismo vivo e sim o valor espiritual que está se dando a esse precioso líquido.

ÁGUA E RELIGIÃO.
O cristianismo bíblico, porque atualmente tem cristianismo que não é bíblico, não sendo maioria, não dá ao elemento água o mesmo valor que é dado pelos hindus por exemplo, que se banham no Ganges para receber a purificação dos seus corpos.

Quando a Bíblia, único livro que tem autoridade sobre a vida terrena e a espiritual não é consultada, leva alguns "bispos"" e "apóstolos" a orarem sobre o liquido, exortando os fiéis a beberem para receber uma cura, praticando assim, uma heresia visto que tal orientação não tem qualquer amparo na Palavra de Deus, beirando a uma forma de idolatria ou oportunismo sobre a fé das pessoas.

Apesar da simbologia bíblica para sepultamento da velha natureza humana pelo batismo,  a Bíblia não atribui ao líquido, qualquer poder para  ablução ou lavagem do corpo para purificar pecados, visto que pelo nome de Jesus são perdoados os nossos pecados, assim escreveu o Apóstolo João (IJo.2:12): FILHINHOS, ESCREVO-VOS PORQUE PELO SEU NOME, VOS SÃO PERDOADOS OS PECADOS".

LAVANDO OS PÉS DOS DISCÍPULOS.
Na  última ceia antes da Páscoa em que ele seria sacrificado por nós, JESUS tomou uma vasilha com água e lavou os pés dos discípulos dando uma grande lição a Pedro que a humildade deveria ser a palavra de ordem entre os cristãos, não tendo havido qualquer recomendação que tal prática fosse executada pela igreja nem sob a forma de simbolismo. Foi um ato de pura subserviência ao homem, feita pelo filho de Deus. Ele sendo o maior, lavou os pés do menores para que aprendêssemos o que significa humildade na prática.

QUEM TEM SEDE VENHA A MIM E BEBA.
João 7:37-39 "E no último dia , o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé e clamou, dizendo: Se alguém tem sede que venha a mim e beba. Quem crê em mim COMO DIZ AS ESCRITURAS (grifo meu) rios de água viva correrão do seu ventre e isso disse ele, do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo ainda não fora dado por ainda Jesus não ter sido glorificado.

JUDAÍSMO E CABALA.
Quando falamos em Judaísmo, convém nos determos no antigo testamento pois não existe judaísmo sem a Bíblia tal qual o Cristianismo verdadeiro. As lavagens dos corpos ou mãos impostos aos levitas (Nm.8:5), aos sacerdotes ou sumo sacerdotes na antiga aliança, estavam voltadas para a questão de higiene como também chamada de água da separação ou da purificação em Nm.19:7. nas leis gerais o banho da purificação como limpeza, é mandamento ao povo de Israel conforme Levíticos 15, sem contudo atribuir ao líquido qualquer virtude além da limpeza, tendo sim, algum simbolismo como no batismo para os cristãos.
Quanto aos conceitos da Cabala ou Kabbalah,  o misticismo judaico, para água e outros elementos, preferimos ficar com a Palavra de Deus cuja verdadeira interpretação ou entendimento nos é dado pelo Espírito Santo.

PESSOAS QUE DÃO TESTEMUNHO DE CURAS PELA ÁGUA.
Por mais estranho que pareça, não podemos desmentir por uma questão de bom senso, qualquer pessoa que diga ter sido curado da sua enfermidade por este ou qualquer outro método que não tenha sido pela autoridade no nome de JESUS, apenas afirmamos que curas e milagres, não salvam nem carimbam passaporte para entrada no céu. Jesus disse: "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. Jo 14:6.

O CONSELHO DE PAULO A TIMÓTEO SOBRE A SAÚDE DELE.
ITm. 5:23 Não bebas mais água só, mas usa de um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas frequentes enfermidades.
ESPERO QUE NENHUM TELE PREGADOR , chame Paulo de incrédulo por conta desse conselho.

domingo, 1 de abril de 2012

EBD nº 2 - A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO.


LIÇÃO 02 – A VISÃO DO CRISTO GLORIFICADO.
Para o dia 08/04/2012.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O CRISTO ENCARNADO.
II – O CRISTO HUMILHADO.
III – O CRISTO GLORIFICADO.

Em tempo: Sempre que tinha que falar sobre JESUS, sua eternidade, sua vida terrena e glorificação, o meu texto predileto é o de Hb. 1:1-9, mas, posso somar este, Jo.1:1 e Jo.17:5, sem pretender formar um tratado de teologia, algo que já existe nos milhares de livros.  O autor começa a falar com a convicção de quem foi transportado aos céus para ver tudo o que houvera visto e com poucas palavras, nos dá importantes indícios da existência da trindade, antes mesmo que essa manifestação iniciasse a obra da criação. A revelação é tão profunda, porém, que, quem tentar avançar os limites impostos nos escritos, certamente estará buscando a loucura, pela simples razão, porque tudo hoje é em partes, até que venha o Senhor e aí teremos a visão total da eternidade passada e teremos toda eternidade para adorar o CRIADOR, por ter sido tão bondoso para conosco. Glorifique, pois, a Deus junto com os alunos da nossa querida EBD.

I – O CRISTO ENCARNADO.
1.1        A encarnação.
Considere o que diz o autor da lição, quando fala que JESUS não esvaziou-se da sua divindade. Muita gente faz confusão e acabam ensinando errado.
JESUS, nunca deixou de ser Deus por ter assumido a forma humana e como um, igual a nós, ser tentado, superar seus próprios limites humanos, em algum momento da vida, perceber a dificuldade dessa superação, quando pede ao Pai: “Pai, se possível, passa de mim este cálice”.
Nunca abrimos mão deste texto, por onde a discussão possa se encaminhar:
Paulo escreve aos Colossenses (2:9) que nele habita CORPORALMENTE TODA a PLENITUDE da DIVINDADE (gripo meu).  Particularmente, não abro mão para aceitar qualquer outra discussão que intente dizer que JESUS sendo 100% homem, não era DEUS 100% DEUS. Por profunda obediência ao pai, ele abriu mão dessa glória e só a revelava quando pressionado pelos judeus, ainda que Jesus não agia sob pressão de ninguém, mas, para mostrar a sua glória e o seu poder sobre tudo e todos.

1.2        O objetivo da encarnação.
O autor considera 3 pontos para definir os objetivos: 1) Consumar o plano da salvação. 2) Manifestar o Emanuel e 3) Revelar no calvário a expressão maior do amor de Deus.
Este tópico dispensa outros esclarecimentos, todavia, é bom lembrar aos alunos, que Moisés apresentou ao povo de Israel, um Deus implacável e agora o nosso segundo Moisés, apresenta um Deus que tem pelo homem, amor e piedade, equilibrando-o em Cristo. Jesus tomou o vaso quebrado, transformou-o em vaso novo, eliminando todas as falhas decorrentes do pecado. Escondidos nele, somos mais que vencedores.

II – O CRISTO HUMILHADO E FERIDO DE DEUS.
Único - Muitos perdem a oportunidade de salvação porque, não conseguem entender a plenitude do evangelho, que culminou com a morte de Cristo na cruz, estabelecendo novas regras de vidas, fundada no amor, na entrega total. Perceba-se que o evangelho ganhou novos parceiros para sua divulgação, as mídias, porém as mídias, são frias e não conseguem implementar no coração do homem, esse sentimento que só pode entender quem renuncia a tudo quanto tem e o aceita unicamente pela pregação da fé. Sem qualquer outro interesse.

III – O CRISTO GLORIFICADO.
3.1 Ressureição.
Qualquer religião que ignora a ressureição de Cristo, já nasce morta com o seu fundador. Nem precisamos discutir sobre as tais, neste precioso momento. Paulo disse que se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé. ICo 15:14. Fico imaginando se em Jerusalém, houvesse uma sepultura de Jesus, com o seu corpo. Com certeza, milhares iriam fazer turismo só para toca-lo.
O anjo disse as mulheres “Não está mais aqui, ele ressuscitou”.  Mt.28:6.

Todo crente deve gloriar-se na cruz de Cristo pelo sua morte e ressureição.

3.2 Ascensão aos céus.
Lindo este tópico, para considerar com os alunos.
Hoje existem muitas doutrinas que são pura heresia, no tocante a vida de Jesus pós ressureição e sua chegada aos céus, do qual não temos qualquer outra revelação bíblica, pois tudo se encerra com as palavras dos anjos ditas aos galileus em Atos 1:11 “Por que estais olhando para os céus? Esse Jesus que entre vós foi recebido nos céus, ele voltará assim como para o céu o vistes ir.
Deste momento em diante, Jesus se manifesta em sua igreja pelo seu Espírito. Ninguém precisa dedicar um trono ao Espírito Santo, pois ele, já tem lugar apropriado dentro do coração daqueles que aceita a sua palavra. Não precisa também, dar bom dia ou boa tarde como se humano fosse. Ninguém precisa criar uma aura de mistério em torno dele, pois, sua missão é nos guiar em toda verdade, contida na Bíblia Sagrada. Também, o mesmo Espírito, não cria doutrinas sobre a nossa vida, pois todos os que escreveram, foram inspirados por ele.

3.3 A segunda vinda.
Falar sobre este assunto, certamente exige mais espaço e o autor fechou-o dentro dos limites. Sabemos da segunda vinda do Senhor em dois momentos: Para arrebatar a sua igreja e tira-la do turbilhão de problemas, guerras, prostituição, conflitos em todas as áreas da vida e principalmente perseguição sobre aqueles que não tiverem a felicidade de subir no arrebatamento. E a sua vinda em glória com toda a igreja. Todos o verão, nesta segunda parte.

Ora vem Senhor Jesus.