Tradução deste blog

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

EBD - LÇ.5 ARREBATAMENTO DA IGREJA.

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 31/01/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – TODOS OS SALVOS SERÃO ARREBATADOS.
II – O ARREBATAMENTO E A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS.
III – ANTES DO ARREBATAMENTO E DEPOIS DELE.

Na vinda do Senhor, dois estarão trabalhando
 e dois estarão dormindo.


I – TODOS OS SALVOS SERÃO ARREBATADOS.



1.1 A reunião dos salvos no encontro com Cristo.


Penso que a doutrina mais profunda e interessante do arrebatamento não se refere aos fatos pós-arrebatamento, pois, estaremos longe do cenário e sim, a que se refere à condição de quem o espera e do mundo, principalmente Israel com o movimento sionista.

Há diversas parábolas proferidas por Jesus que tratam do assunto, objetiva e subjetivamente. A mais eloquente delas e que fala objetivamente é a parábola das dez virgens. As loucas e as prudentes representando os dois únicos estados de espírito nos dias do arrebatamento. Mt. 25:1.

1.2 Quem será arrebatado?

Aqui temos um assunto merecedor de maior espaço.

O autor declara que os arrebatados serão os salvos que foram transformados mediante o novo nascimento.

Podemos afirmar que o novo nascimento é a porta de entrada para o Reino de Deus e a condição final para ser arrebatado?

Penso que as coisas são ainda mais profundas e vamos ver isto:

Puxemos à lembrança, a parábola das dez virgens Mateus. 25.1.

Todas estavam de branco, todas tinham lâmpadas, mas alguma coisa faltou e foi o azeite. Inegavelmente todas tinham experimentado o novo nascimento, mas, houve descuido.

O azeite fala da presença do Espírito Santo na vida do crente, não é sem razão a advertência do apóstolo; “´(...) Enchei-vos do Espírito...” e estar cheio é uma condição fundamental para o arrebatamento. (Ef. 5:18).

Não confundir o ser cheio do Espírito Santo com o batismo com o Espírito Santo.

II – O ARREBATAMENTO E A RESSURREIÇÃO DOS MORTOS.


2.1 A ignorância acerca dos mortos.


É compreensível a ignorância acerca da ressurreição dos mortos por parte da igreja primitiva e Paulo ensina a igreja de Tessalônica (1 Ts.4:13) e a de Coríntios, (I Co. 15:12-23). 

Não se pode afirmar que sim ou não, que Paulo durante o tempo em que esteve entre os cristãos de Éfeso, anunciando todo o conselho de Deus, não tenha ensinado sobre a matéria.

Que a vinda do Senhor tinha um grande peso na esperança dos crentes da igreja primitiva, isto é perceptível, todavia, o desapego total não parecia estar intrinsecamente ligado a esta esperança, mas, a profunda alegria da alma em repartir tudo com todos.

2.2 A primeira e a segunda ressurreição.

Como assim? Perguntarão alguns alunos. 

Claro! Responde o professor que lê bíblia. Yes, we can!

JESUS é a primícia dos que dormem tendo sido o primeiro a ressuscitar para mostrar que ele tem poder sobre a vida e a morte (ICo 15:14-16).

Aí sim:

Nós com ele na sua vinda e a torcida organizada no final, findo o milênio, para o juízo eterno.

Não precisam inventar nada, basta ensinar o que está na Bíblia.

III – A CORRUPÇÃO GERAL NA TERRA.


3.1 Antes, é preciso vigilância.


Este tópico pode ser repensado com a parábola das dez virgens Mt. 25:1.

Que ninguém pense que Jesus vem com milhares dos seus anjos, param nas alturas, ele dá ordem para que se toque a trombeta e todos os crentes perfilados, sobem como ele subiu e foi recebido nos céus.

O QUE NÃO PRECISA.

Dormir engravatado ou bem vestido com um bom pijama para que não se veja a nudez.
Deixar de acariciar a esposa ou o marido com medo de ser flagrado no ato.

Dois estarão numa cama dormindo (Hemisfério Norte), um será tomado e outro não.

Dois estarão no campo trabalhando (Hemisfério Sul), um será tomado e outro deixado.

Muito cuidado. A matemática usada por Jesus é meramente ilustrativa. Lc. 17:34 e Mt. 24:38-40.

3.2 Depois, viveremos felizes para sempre.

Não há história no mundo mais bela e consensual que a história da igreja e o seu Salvador Jesus.

Consensual é por que esperamos ardorosamente o noivo Jesus e ele ansiosamente nos quer arrebatar.

Penso que o ensino do amor e retribuições mútuas se tivessem sido o tema do ensino em muitas pregações nas nossas igrejas ao longo dos últimos quarenta anos, teria sobrado pouco lugar para as chamadas neopentecostais e a poluição gospel.

O que de fato aconteceu é que os pastores ficaram assustados com o avanço social daquele tempo (nem viram o nosso, hoje, com a internet) e tentaram afivelar os crentes ficando pior a emenda que o soneto.

Tudo estava escrito. Nada pega de surpresa quem lê e examina atentamente a Palavra do Senhor.

sábado, 16 de janeiro de 2016

EBD LÇ.4 - ESTEJA ALERTA E VIGILANTE, JESUS VOLTARÁ.


EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 24/01/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A VINDA DE JESUS SERÁ REPENTINA.
II – COMO FOI NOS DIAS DE NOÉ
III – A CORRUPÇÃO GERAL NA TERRA
IV – COMO FOI NOS DIAS DE LÓ.

Nada impedirá a vinda iminente de Jesus Cristo.


I – A VINDA DE JESUS SERÁ REPENTINA.

1.1 - Como um relâmpago.

Lucas 17:24.  Acho difícil explicar o tempo e a velocidade segundo esta passagem bíblica, pois nada há de físico ou material neste mundo que possa ser usado como comparação, salvo se conhecermos o tempo e a velocidade do relâmpago com absoluta precisão. Segundo a informação da Bíblia, o retorno de Cristo ocorrerá de maneira muito rápida, tanto quanto a rapidez do movimento de abertura e fechamento das pálpebras.

Há muitos que fazem elaboradas contagens para tentar criar alguma descrição mais clara que a que recebemos por meio das Escrituras sobre o momento da volta de Jesus, e outros. Eles têm pensamentos mirabolante e desejam provar que todos os acontecimentos mundiais são efetivos sinais de sua vinda. Agem assim mesmo nós sabendo que todos os fatos sinalizam ao regresso de Cristo, desde às catástrofes de tsunamis e terremotos, aos grandes e pequenos conflitos entre países ao simples trovejar nos céus antes da queda de uma chuva amena.

Jesus virá, em breve, no tempo e na hora dele.

1.2 - Como um ladrão.

O malandro não diz às vítimas: "Amanhã, dia 17, às 22 horas, vou entrar em sua casa e roubar objetos valiosos". E, durante o roubo, raramente a pessoa roubada vê, ou ouve algo, do crime em andamento, porém quando acorda pela manhã, percebe que a porta está arrombada e alguns pertences sumiram.

Não é possível evitar a ação do ladrão sem as devidas precauções antecipadas, de nada valem as realizações de campanhas de oração, jejum programado. É necessário estar efetivamente pronto.

Para derrubar algumas teorias: dívida não impede o crente de ser arrebatado, visto que ficarão aqui os despojos e produtos adquiridos. Por natureza, o mal pagador tem sua salvação comprometida. Os que vivem como se Jesus não viesse, são comparados com as “virgens loucas” que não tinham azeite na lâmpada.

Os que traficam influências dentro da igreja, tiram todo proveito possível das situações, conquistam cargos de confiança por interesse pessoal e inconfessável, e enriquecem-se com isto, precisam pôr as barbas de molho, ou seja, precaver-se e mudar de atitudes para evitar ficar para trás no dia do arrebatamento da Igreja.

II – COMO FOI NOS DIAS DE NOÉ.

2.1 - Comiam e bebiam. 

O comentário do autor dispensa qualquer esclarecimento adicional. Todavia, é bom ressaltar mais alguns pontos que ajudarão nesta preocupação, preocupação esta que todos devemos ter:

Eu completei 69 anos de idade, já vivi e testemunhei muitas situações, tanto pessoal quanto social, em relação a economia do país e o reflexo dela entre os cristãos. E o que pudemos notar é o seguinte:

1. Quando a Economia está em alta, não faltam vagas de emprego, o trabalhador recebe altos salários que proporcionam muito conforto, então os cultos passam a não ser considerado de importância primária para ele.
2. Muitos crentes adquirem casas na praia ou no campo, trocam a devoção pela diversão, e não podem ser contados entre os colaboradores permanentes do roll de membros da congregação.
3. Cultos de final de ano, realizados para que de joelhos o Ano Novo fosse aguardado pelos cristãos, outrora lotados (em muitas congregações nem existe mais e em outras termina cedo), deixa de ser frequentado. Os crentes realizam em suas casas churrascos e ceias com mesas fartas, ou vão participar nas residências de parentes e amigos descrentes, Deixam de ir à igreja alegando que os filhos e amigos não devem esperá-los para tais eventos festivos, caso fossem ao culto de Virada de Ano, seus familiares e amizades ficariam "em suas casas curtindo a solidão". Enfrentar a realidade de filhos e famílias fora da igreja não é uma tarefa fácil, como deixá-los em casa nessa ocasião?

O tempo é dificílimo.

2.2 - Casavam e davam-se em casamento.

A manutenção do matrimônio tem importância inestimável na velhice do casal, contudo muitos não se dão conta disto.

• Lua de mel – Período de “só festa”, casal sem defeitos.
• Intermediário – filhos, trabalho, preocupações mil. O comandante avisa para sua tripulação: “Apertem os cintos, zona de turbulência”.
• Final – Ambos servem de “muro de arrimo”. É o avesso da lua de mel, o amor cresce, mesmo sem sexo.

Dar-se em casamento nos leva a pensar o tipo de vida do povo de Sodoma; um verdadeiro “Big Brother” sem o “plim, plim”. (*)

Não devemos concorrer com a sociedade em seu desenfreamento, porém, muitos não vigiam nisso, então, não perceberão quando o Senhor levar a igreja, somente depois notarão que não foram arrebatados quando sentirem o vazio pela falta do Espírito de Deus. 1 Pd. 4:3-4.

III – A CORRUPÇÃO GERAL NA TERRA.

3.1 - Toda a terra estava corrompida e violenta.

Corrupção moral devia ser igual em todo o tempo e lugar (sqn). Atualmente, a indústria da diversão ao prazer tem faturado muito, filmes e artigos inundam o mercado, induzem pessoas à vida de libertinagem. Inclusive, muitos pastores perderam a noção de como agir sobre o assunto. Tem sido corriqueiro pastores e membros viverem preocupados apenas com as questões da sexualidade, quanto ao que se pode ou não fazer, como se isso fosse a coisa a mais importante da vida cristã, os fatores determinantes para alcançar a felicidade plena.

O aumento da imoralidade dentro das igrejas decorre da falta de ensinamento bíblico. As pregações, com raríssimas exceções mais parecem artefatos enlatados.

3.2 - O juízo de Deus sobre a corrupção.

Poucos há que acreditam no juízo de Deus. Nunca houve e nem haverá sofrimento maior protagonizado pelo próprio homem que receber a condenação eterna, e nesta situação seguem-se os juízos de Deus sobre todo o mal que o homem tem feito.

 Com qual grupo você deseja estar:

1 – Apocalipse. 7:9. Uma grande multidão, a qual ninguém podia contar, diante do trono do Cordeiro, vestidos de branco e com palmas nas suas mãos.
2 – Apocalipse. 17:15 “... as águas que vistes onde se assenta a prostituta são povos, nações e línguas...”.

IV – COMO FOI NOS DIAS DE LÓ. 

4.1 - Dias de intensa corrupção. 

Fala-se pouco sobre Ló e a sua agonia em sair de Sodoma. A razão é simples: os púlpitos não profetizam mais sobre a sentença de Deus contra quem vive em pecado continuado.

Agora há pouco, li um comentário na Rede Mundial que a Bíblia não detalha muito sobre a vida social de Sodoma, e daí a dificuldade para falar sobre as razões da sua destruição.

Lembram-se que eu comentei mais acima que a riqueza e o conforto excessivos afastam os homens do real compromisso com Deus?

O pecado de Sodoma não teve início com as suas prostituições; antes de prostituírem-se eles já estavam em pecado, vejam as razões:

Ezequiel 16:48-50 – “(...) eis que esta foi a iniquidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão e abundancia de ociosidade (...) mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado e se ensoberbeceram e fizeram abominações diante de mim, portanto, vendo eu isto as tirei dali”.

Todos os males de um país, de uma cidade, de um bairro, de uma igreja, começam geralmente pelo estilo de vida exageradamente confortável. Muitas vezes, o excessivo conforto gera a soberba no coração humano.

 4.2 - A corrupção mundial. 

Considerem como está o comentário da lição, o que se encontra nesse tópico é apenas a ponta do icebergue. Muitas outras coisas e pecados ocultos levam muitos cristãos desatentos à prevaricação.

A imoralidade, a corrupção e a soberba da vida afastam homens e mulheres da comunhão com Deus.

Se orarmos, nos manteremos vivos e ajudaremos outros, todavia, sei que nada mudará para melhor nesse mundo. Isto não significa que não devemos esbravejar contra todo tipo de injustiça praticada pelos governantes e sociedade em geral.

Louvado seja Deus.

4.3 - A destruição da família. 

Destruir a família é o maior projeto de Satanás e não falta agentes do mal para esse intento. Destruir a família é expô-la, literalmente, em situações de depravação. Pessoas descrentes querem de todas as maneiras justificarem os seus erros, despersonalizar o ser humano com a ideologia do gênero.

Os ambientes onde mais ocorrem abuso de crianças é o lar malformado, e, por conta da doutrina do "celibato", na igreja católica. Grave desvio de ensino, que a igreja católica resiste em não reconhecer sua fragilidade.

Devido ao aviltamento da doutrina bíblica, hoje em dia as igrejas evangélicas apresentam poucas exigências ao separar solteiros ao ministério, o que dantes era impensável, o que facilita a ocorrência de escândalos sob as mais diversas formas.

Alguém pode questionar que muitos casos de abuso ocorreram envolvendo pastores casados e com com família constituída. Quando a igreja ordena um homem casado, com boa e sustentável família, a possibilidade de erro é bem menor.

__________

Nota editorial:
* - Plim, plim: onomatopeia ao som usado nas vinhetas da emissora de televisão brasileira Rede Globo, veiculadas durante o período de transição entre a grade de programação aos anunciantes e vice-versa.

Postagem atualizada em 22 de janeiro de 2016, às 17h07.

domingo, 10 de janeiro de 2016

EBD LÇ.3 ESPERANDO A VOLTA DE JESUS.

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 17/01/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – AGUARDANDO A VOLTA DO SENHOR. 
II – ATITUDES ERRÔNEAS DIANTE DA VINDA DE JESUS. 
III – ATITUDES DO SERVO FIEL, ANTE A VOLTA DO SENHOR.

Apesar de falar em "alarido" somente os salvos ouvirão a sua voz.
1 Tessalonicenses 4:16. 


I – AGUARDANDO A VOLTA DO SENHOR.

1.1 Com fé e vigilância.

O texto capitulado em 1 Tessalonicenses 4:15-17 impressiona por sua leveza do ensino acerca da vinda do Senhor e por não dar margem às especulações ou afirmações fora desse ensino.

Esperar com fé e vigilância não é:

a. Afastar-se de todo convívio social, nem pensar nisso.
b. Jejuar e orar incessantemente para manter viva esta esperança.
c. Fazer esforço para viver literalmente toda proposta de santificação.
d. Viver em luta interior para estar se preparando.

Embora a questão seja séria, porém é mais simples do que se possa imaginar e certamente será esclarecida nesta lição.

Veja o que diz o Salmo 51:11 “...e não retires de mim o teu Espírito Santo”.

O Espírito de Cristo,

Espírito de Deus ou ainda, o Espírito Santo, não veio apenas para nos ajudar a entender: Ele opera salvação no coração do homem, (Jo.16:8) ele sustenta o homem (Rm 8:26) e a sua última tarefa será transformar o nosso corpo abatido para ser semelhante ao de Cristo. Ainda que Fl. 3:21 Não faça literalmente referência, é o Espírito de Cristo que habita em nós que fará esta transformação e nos apresentará ao noivo, a Cristo.

1.2 Cheio do Espírito Santo. 

Este segundo ponto traz uma questão importantíssima, alvo de muitos questionamentos, dúvidas e excessiva espiritualização destituída da base doutrinária a que se submete; “CHEIO DO ESPÍRITO SANTO”.

 A parábola das dez virgens (Mt. 25) retrata de maneira simples o que escrevi no ponto anterior acerca do trabalho do Espírito Santo no arrebatamento da igreja.

a) A primeira condição era comum a todas; eram virgens. Para melhor compreensão, digamos que as jovens eram todas crentes e frequentavam a mesma igreja.
b) Diferenciavam-se pela prudência e pela falta dela (vers. 5).
c) Todas tosquenejaram, revelando fraquezas, entretanto todas esperavam o noivo.
d) A maior e mais significativa diferença: cinco tinham azeite nas lâmpadas e cinco não. 

1.3 Em santidade e amor.

A doutrina da santificação ou a santificação é fundamental, também é outra questão mal compreendida por muitos cristãos (Hb. 12:14)

Têm-se a impressão que a santificação assemelha-se a fisicultura ou um corpo sarado pelos exercícios. 

Não conheço exercícios que moldem pessoas a ter uma vida santa. Santidade é o alinhamento dos planetas: renúncia e amor a Cristo. 

A renúncia é o domínio interior sobre a vida e as coisas; em outro modo de descrever é o exercício do domínio próprio.

O Amor a Cristo é a “viga mestra” da vida. Um exemplo de santificação sem dor? Daniel e sua recusa em comer o manjar do rei.

II – ATITUDES ERRÔNEAS DIANTE DA VINDA DE JESUS.

2.1 Ignorar a vinda de Jesus.

Há muitas parábolas que tratam do compromisso com o Reino de Deus e a vinda do Senhor. E em todos elas Jesus deixa transparecer a figura do servo fiel, prudente e cuidadoso, e dos infiéis.

 A infidelidade a Deus é na maioria dos casos imperceptível aos que convivem com os infiéis, são os pecados ocultos ou interiores, da alma, como vícios de conduta, dependência patológica do sexo, a falta de princípios morais..

Manter a boa educação nos relacionamentos para mim é fundamental na vida cristã.

 Não podemos ignorar a vinda do Senhor, mas também não podemos viver aterrorizados com a ideia de ficar para trás no momento do Arrebatamento da Igreja.

É preciso ter calma e o coração aberto para Deus.

2.2 Escarnecer das profecias.

O que não falta são os escarnecedores, não são pessoas comuns. Muitos entraram em alguma escola teológica e acabaram se tornando “contestadores das verdades divinas”. É impressionante o número deles e a linguajar usado. Zombam das principais doutrinas bíblicas, duvidam de tudo. E o pior neste caso é a presença deles nas igrejas, porque são causadores de confusão.

 A questão da matemática de Deus, citada pelo autor juntamente com a referência de 2Pd. 3:8, nos dá conhecimento que o calendário é coisa do homem para os homens.

III – ATITUDE DO SERVO FIEL ANTE A VOLTA DO SENHOR.

3.1 Ter uma vida irrepreensível. 

A questão de vida irrepreensível pode ser percebida em muitas pessoas crentes e não crentes. É questão de caráter e questão de respeito às instituições e ao próximo. 

Irrepreensibilidade à luz da Bíblia é uma questão maior que as questões morais de caráter social e ético. 

A nossa relação com Deus e confissão de fé nos faz sensíveis mais do que qualquer pessoa no mundo. Aquilo que para eles é uma “piada” para nós pode ser uma ofensa contra Deus. 

Conservados irrepreensíveis para a vinda do Senhor (I Tess 5:23) é a pureza de vida interior e exterior: corpo, alma e espírito. 

3.2 Não dar lugar à carne.

Têm uma ferramenta destruidora da vida moral e da vida cristã que expõe os crentes ao fracasso. As as redes sociais, que possibilita a comunicação à distância e sem o olho no olho, encorajam as pessoas usuárias à libidinagem. Quem erra mais, se o homem ou a mulher? Fica difícil determinar, pois, a conversa envolve sempre duas pessoas com vontade de abrir o coração e falar tudo o que vem à cabeça.

Há ainda a questão do comportamento desonesto dentro da própria igreja. Excesso de intimidade levam pessoas à prática do adultério.

Na ansiedade de promover o crescimento do número de membros, há muitos pastores que com meia palavra já apontam o coro da congregação, o conjunto de jovens ou até mesmo o conjunto vocal de senhoras como instrumento para prender as pessoas na igreja, sem sequer avaliar a questão de fé ou preocupar-se com o conhecimento bíblico. É o chamado crescimento desordenado.

O cinema e a televisão despejam cargas de erotismo nos lares, as pessoas se acostumam a assistir a programação de péssima qualidade e nem reclamam mais. Esse comportamento incomoda.

3.3 Dar fruto.

Há um grande equivoco nessa área, muitos pastores evitam confronto para não “magoar” os crentes que seguem os seus caminhos tortuosos.

Ao examinarmos as Escrituras com atenção, percebemos que a igreja não é o lugar de se trabalhar para o Senhor, mas o lugar de adoração coletiva, de se conhecer as necessidades um do outro, dar assistência aos abandonados, de amparar os feridos e fortalecer os fracos. É o ponto de apoio.

O campo é o mundo onde se deve semear. Mt 13:38.

A seara é grande, mas poucos são os ceifeiros Mt. 9:37.

"Toda vara que está em mim que não dá fruto a tira; e limpa aquela que dá fruto para que dê mais fruto. Jo. 15:2.

Quem está em mim e eu nele, este dá muito fruto Jo.15:5.

E finalmente, “Se alguém não estiver em mim, será lançado fora”. Jo. 15:6.

Há dentro das igrejas atividades que só podem e devem ser feitas por seus membros, cada um dentro da sua capacitação, todavia, isto não pode ser motivo para deixar de fazer o que realmente é necessário; lutar pelo crescimento do Reino de Deus através da evangelização e das obras que glorifiquem o Senhor.

Atualização: 15 de janeiro de 2016 | 18h50

domingo, 3 de janeiro de 2016

EBD. LÇ.2 SINAIS QUE ANTECEDEM A VOLTA DE CRISTO.

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 10/01/2016. PONTOS A ESTUDAR:
I – SINAIS NA VIDA DA IGREJA. 
II – SINAIS NOS CÉUS DA VINDA DE CRISTO. 
III – GUERRAS, CONFLITOS E TERREMOTOS.

O TERREMOTO PÕE ABAIXO. O TSUNAMI ARRASTA TUDO.

I – SINAIS NA VIDA DA IGREJA. 

É bom atentar para a introdução do primeiro ponto onde o autor usa a expressão “segunda fase”.

Sempre citamos: primeira e segunda vinda de Cristo.

• A primeira
Obra redentora.
 • A segunda
Fase 1: Arrebatamento da igreja;
Fase 2: Sua vinda em glória.

1.1 Os falsos cristos e os falsos profetas.

Há diferença entre Anticristo e falso cristo? Sim, existe grande diferença.

O Anticristo.

É uma figura que surgirá em âmbito mundial, atuará a partir do centro político de Israel, sendo um grande usurpador: “de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”. 2 Ts. 2:4 b.

 Os falsos cristos.

Jesus disse que muitos virão em seu nome dizendo: “Eu sou o cristo e enganarão a muitos”. Mt. 24:4-5.

Dezenas de falsos cristos têm surgido no mundo desde os primeiros séculos. Na atualidade brasileira, o mais conhecido é o “Inri Cristo”, que se diz emissário do Pai, anda cercado de mulheres jovens, as “cristoletes”. Acredita-se que é um louco.

João escreveu assim: "muitos se tem feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora”. I Jo 2:18 b. Esses não são o Anticristo, mas ensinam heresias, fazem oposição à verdade e comercializam a graça do Senhor.

1.2 Apostasia. 

Paulo foi muito contundente na questão do ensino verdadeiro, deixou isto muito claro aos anciãos de Éfeso na sua despedida. Vejamos em Atos 20:25-37.

a) “Mas em nada tenho a minha vida por preciosa”. Enquanto estes tem a sua vida por muito preciosa e só se preocupam com o próprio bem-estar.
b) “Por onde passei, preguei e estou limpo do sangue de todos”. Estes, não pregam nada além de “prosperidade e determinações sem base”.
c) “Nunca deixei de vos anunciar todo o Conselho de Deus”. Estes, que conselho anunciam? Não sabem o significado desta palavra.
d) “Olhai por vós e por todo o rebanho”. Estes, só conhecem os saldos da conta bancária.
e) “Depois da minha partida entrarão no meio de vós, lobos cruéis que não perdoarão o rebanho”. Estes, são os próprios lobos, moram em mansões, viajam em avião particular e já nem dirigem seus carros, possuem motoristas.

Na primeira carta a Timóteo (4:1) encontramos um Conselho mais direto e  conclusivo: “...apostatarão alguns da fé dando ouvidos a espíritos enganadores e doutrina de demônio”.

Entre na maioria das igrejas, sente-se e mantenha a Bíblia aberta aguardando o bom ensino da Palavra do Senhor. Não se escandalize.

1.3  Doutrinas de demônios. 

O autor cita as principais “doutrinas” ensinadas pela maioria das igrejas neopentecostais. Lamentavelmente muitos pastores assembleianos estão engolindo esta água. Os crentes dizem o que tem que ser feito ao longo calendário anual; festas, e algumas festas mundanas com nome trocado para tentar apaziguar os ânimos.

Os púlpitos viraram palco, plataforma para atores mostrarem suas habilidades. O comércio de coxinhas, empadas e bolos, serve de levantamento de fundos para garantir as festividades, “pagar” alguns cantores e pregadores.

Sem pretender espiritualizar, o ambiente de culto tem sido transtornado quando o lugar que foi construído para adorar o Senhor é usado para compra e venda de comidas e bebidas. Em resumo, as  nossas Assembleias de Deus, que outrora fora lugar de oração e lágrimas de clamor ao Senhor, hoje tornou-se palco festivo.

As principais doutrinas citadas: “Confissão Positiva”, “Teologia da Prosperidade”, “Culto aos Anjos” e acrescente-se “Culto aos Homens”.

Há pastores que fazem de tudo para agradar e chamar a atenção dos seus pastores-líderes, desejam a qualquer preço mostrar competência e submissão dos seus liderados.

Caro professor, o que escrevi acima, não se constitui desabafo. Você pode pular tudo isso, porque esta postagem não tem a intenção de gerar polêmica e confusão, apenas despertamento.

Haja coração!

1.4 Perseguição aos crentes.

A questão da perseguição tem duas faces:

Os que são odiados, perseguidos, mortos, por regimes totalitários e/ou religiões contrárias a verdade. A mais agressiva tem sido o Islamismo, que não tolera concorrências.

O outro lado; vejamos o cenário do Brasil, cuja constituição no seu artigo V garante o direito e a inviolabilidade de quaisquer manifestações religiosas.

Onde está a perseguição em nosso solo:

Em geral, encontra-se entre os  são inimigos da verdade, sendo os mais instigantes, os ativistas gays.
Individualmente, aqueles que amam a verdade da Palavra de Deus, são descritos, pejorativamente, como “fundamentalistas”. Adjetivo horroroso, bastaria dizer que são aqueles que não aceitam corante na doutrina.

II – SINAIS NOS CÉUS DA VINDA DE CRISTO.

2.1 Sinais do céu. 

Lendo este tópico, lembrei-me que ontem um irmão contou para mim uma experiência. disse-me que quando o professor não sabe explicar, responde dizendo: “Irmãos, as coisas ocultas são para Deus...”.


O autor tem razão em advertir quanto às especulações feitas sobre alguns assuntos bíblicos, mas, note que não se trata de doutrina ou palavras visivelmente reveladas no Apocalipse, mas, aquelas envoltas em algum mistério e que alguns escritores apresentam seus argumentos como sendo verdades absolutas.

É preciso tomar cuidado para não acrescentar nada aos assuntos da Bíblia. Sinais do céu podem referir-se à variação climática, às excessivas chuvas que causam muitos estragos, destroem cidades e matam pessoas e menos os chamados OVNIS – Objetos voadores não identificados.

Em resumo, Deus mostra-se ao mundo através de sinais.

2.2 Jesus fala de sinais e não de datas.

Aqui está um ponto esclarecedor em relação aos acontecimentos finais. Não há fatos bíblicos associados com datas. A razão é simples: Deus não usa calendário. Qualquer pessoa, seja ela simples ou eminente, que pretender usar calendário para fixar datas de acontecimentos, ou mesmo apontar o momento da vinda do Senhor não passa de um herege.

III – GUERRAS, CONFLITOS E TERREMOTOS.

3.1 Guerras e conflitos. 

Há uma advertência do Senhor que levo muito a sério.

Está na menor parábola contada por Jesus quando proferia o sermão profético  sobre a volta do Filho do Homem: “E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira e para todas as árvores."  Lucas 21:29.

A FIGUEIRA: De um lado, temos o acirrado movimento sionista, que fortalece suas fronteiras, a despeito dos gritos de várias nações opositoras - e infelizmente o Brasil, ainda que de forma sutil, se mostra avesso a Israel, entenda-se por Brasil o governo petista brasileiro. 
AS ÁRVORES: De outro lado, o movimento político, econômico e bélico das nações busca defender-se, pois a guerra toma outra tonalidade, a cor dos ataques extremistas islâmicos, e esses ataques aproximam as potências, mudam o panorama mundial em relação aos tempos da guerra fria. 

3.2 Terremotos.

Tão espantoso quanto os terremotos, tem sido os tsunamis.

O número de terremotos tem crescido assustadoramente, inclusive em regiões onde não se esperavam ter um epicentro.

Minha opinião é que os homens têm tirado muito produto do subsolo, e as camadas de terra se mexem para ajeitar-se, como ocorre no tecido epitelial. Se perdermos algo, o organismo se movimenta para ajustar.

Meu professor, força na peruca. Não é preciso colocar sobre sua mesa uma quantidade enorme de títulos sobre escatologia, ore, leia a Bíblia, peça graça a Deus e vá em frente. Livros devem servir para avaliação do que você conhece e é capaz de ensinar.

Atualização: 09 de janeiro de 2016 | 10h38

sábado, 2 de janeiro de 2016

EBD LÇ.1 - ESCATOLOGIA, O ESTUDO DAS ÚLTIMAS COISAS.

EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO PARA O DIA 03/01/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – O ESTUDO DA ESCATOLOGIA.
II – A PREOCUPAÇÃO COM FIM DOS TEMPOS.
III – INTERPRETAÇÕES ESCATOLÓGICAS.

Erros de interpretação bíblica geram o caos.
918 pessoas foram induzidas ao suicídio coletivo por Jim Jones. 


I - O ESTUDO DA ESCATOLOGIA

1.1 - Definição.

Com relação a origem do termo, nada a acrescentar, pois, é do conhecimento de todos.

Sempre é bom avisar aos alunos que a palavra “escatologia” não está na Bíblia; convenções dão nome a todas as matérias bíblicas para facilitar a divisão e o estudo.

Os temas citados pelo autor, são ótimos para compreender a divisão do estudo.

• Estado intermediário. Deve referir-se a este período que ampara os mortos em Cristo. Na página 6 da revista, o autor faz referência sobre o “estado eterno”.
• Arrebatamento da Igreja. O momento mais esperado pelos crentes fieis.
• Grande Tribulação. Segunda metade da última semana de Daniel, rompimento dos laços entre o Anticristo e os judeus.
• Milênio. Período de verdadeira paz e governo de Cristo.
• Julgamento final. Chamada para sentenciar os que morreram sem Cristo, com base no testemunho do próprio Senhor e o conteúdo dos livros.
• Estado perfeito e eterno. Tema pouco pregado nas igrejas e faz muita falta. É importante ao crente em Cristo estar plenamente esclarecido, saber que com um corpo perfeito, corpo da ressurreição, habitaremos para sempre na terra, que este planeta voltará a ser o paraíso perdido pelo homem, com a diferença que não será um pedaço de terra cujas coordenadas estão no livro de Gênesis. Tal informação aquece a fé de muita gente.

1.2 - A escatologia e a volta de Jesus.

A escatologia é, segundo o autor, a ferramenta que estuda a volta do Senhor com todas as advertências necessárias ao despertamento daqueles que esperam este retorno.

Vivemos um período de sonolência e Paulo fala de modo próprio e de forma interessante ao comparar com o sono físico. 1 Ts 5.7: "Mas nós que somos do dia...". Não devemos viver dormindo o sono da letargia, como se fora noite. Letargia = sono profundo.

Haverá outros momentos para se estudar tudo o que é impeditivo a que o crente suba para estar com o Senhor.

II – A PREOCUPAÇÃO COM OS FINS DOS TEMPOS.

2.1 Os discípulos de Jesus.

O que acho interessante na bíblia é a expectativa sobre grandes acontecimentos: Na primeira vinda do Senhor, a esperança no nascimento do Messias, do libertador, do Grande Profeta. Os corações viviam acesos em esperança sob a palavra dos profetas.

• Lc. 1.68 - Zacarias sente-se recompensado pela espera.
• Lc. 2.29 - Simeão já nem se importava mais com a vida quando a verdadeira vida chegou.
• Mt.24.3 - A preocupação dos discípulos e a revelação dos acontecimentos finais contadas pelo Senhor, para dar-lhes respostas.
• 2 Pd. 3.3-4 - Esta porção bíblica nos leva a entender que havia muita esperança na de Cristo desde as primeiras gerações de crentes que faziam parte da Igreja Primitiva.

2.2 As previsões falsas sobre o futuro.

Cada vez que os homens erram em suas previsões, surgem novas datas e justificativas.

Os seguidores da “numerologia” tentam fazer milagrosas associações para explicar os acontecimentos finais, incluindo a vinda do Senhor. Cartomancia, quiromancia, cartas e outras formas para prever o que é impossível realizar previsão. Como exemplo, citamos a morte da ex conhecida “Mãe Diná”.

Sem contar os falsos profetas, enrustidos nos arraiais evangélicos.

Os Testemunhas de Jeová, são “useiros e vezeiros” em anunciar a data da segunda vinda do Senhor.

Marcos 13.32 “... ninguém sabe...”.

 2.3 Falsos profetas. (*)

Não foram poucos os que reuniram crentes em torno de si proferindo falsas promessas, afastando-se do convívio social e familiar para tal preconização.

O fato mais dramático que conheço foi um suicídio em massa, induzido pelo pastor Jim Jones, na Guiana, onde havia construído o seu “Templo dos Povos”, ou a sua “Jonestown”. Levou 918 pessoas ao suicídio coletivo na Guiana, onde havia construído o seu “Templo dos Povos” ou a sua “Jonestown”.

O fanatismo é uma doença viral.

III – INTERPRETAÇÕES ESCATOLÓGICAS.

Aqui começa o “imbróglio”. Criaram-se escolas teológicas para ajudar no entendimento da Palavra de Deus e contribuir com o ministério nas igrejas. Porém, o que temos na verdade é uma porção de “brigões”, achando-se “donos da verdade” discutem sobre o que nada sabem, possuem estantes carregadas de livros onde se inclui “autores suspeitos”.

 3.1 Futuristas.

Explicar aos alunos as diferentes interpretações não produzirá qualquer fruto. Portanto, é preciso simplificar.

Futuristas – A bem da verdade, todas as profecias relativas aos finais dos tempos começam dando entendimento sobre fatos que ocorrerão:

a. Antes do Arrebatamento - guerras, doenças e mudanças climáticas com grandes danos, entre outros.

b. Durante. A igreja é tirada da terra antes que a sentença de Deus caia sobre seus habitantes. Tudo isto, que faz parte de um ciclo profético, acontece quase que instantaneamente: 1) o rompimento dos laços de paz do Anticristo; 2) arrebatamento e, 3) a grande tribulação.

 c. Depois – Após o arrebatamento e a grande tribulação, grande parte das profecias contidas no livro do Apocalipse tem aqui o seu cumprimento. No capitulo de número 4 o Senhor diz a João: “Depois destas coisas, olhei e eis que havia uma porta aberta no céu... Sobe aqui e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer.”

A Igreja do Senhor não experimentará a Grande Tribulação.

O professor precisa estar atento para perguntas que acontecem e são lançadas como uma bomba, e algumas delas até são formuladas com intenções maliciosas. Se a pergunta fugir do foco, o melhor é responder sem perder a serenidade, assim: "Sobre isso falo com o irmão após esta aula e havendo necessidade posso informar à classe na próxima."

 Não professor não pode perder o controle da aula.

3.2 Histórica.

 Considerar que o Apocalipse seja um livro histórico dispensa qualquer outro comentário. Com certeza, essa afirmação vem de corações totalmente afastados de Deus e cabeças de quem é pesquisador de ocultismo.

3.3 Preterista.

O estudo da Bíblia que exclui o convívio e o compartilhamento com a igreja do Senhor é o que produz pessoas capazes de dar sentido diverso ao que está escrito, causando danos espirituais aos que pretendem seguir o verdadeiro caminho.

A invasão romana, liderada por Tito (Titus Flavio), que provocou a destruição do templo no ano 70 d.C., foi extremamente grave com a morte de um milhão de Judeus, este fato parece estar muito próximo ao que Jesus tinha dito para eles: “... Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; mas antes, por vós e por vossos filhos.” Lc. 23.28.

Lembrando que estas palavras do Senhor, diziam respeito a todo sofrimento do povo judeu; no ano 70, na segunda guerra mundial e na vinda do Anticristo com o consequente rompimento da paz. 3.4 Simbolista.

Aos que consideram os fatos sob a ótica idealista ou espiritualizada de maneira simbólica, só existe um remédio para eles: Bíblia. Ficar com a Palavra de Deus é o melhor que fazemos, lembrando-se daqueles que com amor nos ensinaram a Santa Palavra do Senhor. O autor cita 1 Tess. 4.13-17, entre outros textos, que clareiam bem o entendimento sobre a sequência dos fatos, exceto aos que fazem questão de disseminar o seu próprio veneno, o veneno suicida.

Paz seja com todos.

 __________

 * Nota do Editor | James Waren, mais conhecido como Jim Jones, não é tão conhecido como o falso profeta que tentou prever o fim do mundo, mas ele proferiu a falsa profecia. Seu nome é mais associado com a tragédia de um suicídio em massa, da qual é o responsável. Para fugir da obrigação de pagar impostos nos Estados Unidos, ele convenceu cidadãos norte-americanos, membros da igreja Templo dos Povos: Igreja Cristã do Evangelho Pleno, da qual era o fundador e líder, a mudarem-se com ele para a Guiana, naquele tempo uma colônia britânica, próxima da Venezuela. Ali, foi acusado de cometer sequestro por não permitir que filhos de ex-integrantes do seu movimento religioso, ainda crianças, retornassem com os pais para suas casas nos Estados Unidos. Quando o congressista norte-americano Leo Ryan foi ao local checar a situação, acabou assassinado a tiros. Na noite do crime, 18 de novembro de 1978, Jones, que já havia algumas vezes ensaiado com a comunidade o ato de suicídio coletivo, facilmente fez com que o seu grupo de seguidores ingerissem um veneno letal, composto líquido, com sabor de uva, contendo cianeto de potássio e substâncias sedativas. 918 pessoas faleceram. Jones tirou a própria vida disparando um tiro na cabeça.