Tradução deste blog

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO, EBD Lç.1 01/01/2017

AS OBRAS DA CARNE E O FRUTO DO ESPÍRITO.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 01 – 01/01/2017.
PONTOS A ESTUDAR:
I – ANDAR NA CARNE X ANDAR NO ESPÍRITO.
II – OBRAS DA CARNE, UM CONVITE AO PECADO.
III – FRUTO DO ESPIRITO, UM CHAMADO PARA SANTIDADE.

Do céu vem o nosso socorro. A chave é uma vida de obediência.


Primeira lição do ano 2017 – Parabéns aos dedicados professores.
Volto a informar que o subsidio que ofereço, não pretende ser um acréscimo com base em conceitos teológicos ou pesquisas em quaisquer outras áreas, mas como professor de EBD desde 1966, sempre notei a riqueza de textos nos comentários e a dificuldade de compreensão de muitos e assim, escrevo conforme interpreto a lição da CPAD e ensinaria os meus alunos.

I – ANDAR NA CARNE X ANDAR NO ESPÍRITO.

1.1       O que é a carne?

Recomendo a leitura do tópico da lição, em classe. Leitura não demorada, pois os alunos já tendo lido em casa, espera o entendimento do professor.

Costumo definir a carne como sendo o agente ativo, objeto do pecado. Os pensamentos que decorre do conhecimento pela linguagem do mal traduzido por desejos,  faz com que a carne, como matéria estremeça diante das vontades e conduza a alma a praticar o intento: Comer, beber, usar os braços e mãos para a prática dos atos de vingança e outras partes para atender os desejos da sexualidade.

Onde tem corpo tem pecado.

Rm. 6:6 - "Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado."

O remido tem o controle da natureza humana ou carne enquanto a mente estiver cativa à Cristo.


IICo.10:5  Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo.”.

1.2       O que é o espírito?

O espírito, parte imaterial insuflada por Deus para que o homem tivesse vida, nada seria só, sem a alma que é a partícula vital da criatura humana, que está no sangue e é o sangue

Lv. 17:11 “Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma.”.

Assim, defino alma e espírito como sendo a personalidade, o “eu”, o agente passivo do pecado, ou seja; sofre a ação do pecado sendo ainda o canal de comunicação com o mundo exterior. Recebe informações, filtra e faz a sua leitura aceitando ou rejeitando a voz de comando que será dada ao corpo.

1.3 Andar na carne x andar no espírito.

Andar na carne; quando o homem resiste em obedecer as recomendações bíblicas para uma vida de obediência a Deus. Claro está que a carne sempre pende para o mal, para os desejos ocultos.

Andar no Espírito como falamos no bloco anterior. Veja como acontece o controle da natureza humana.

O homem ouve a pregação do Evangelho; crê e abre o coração para Cristo (novo nascimento) que lhe dá como promessa, o Espírito Santo. O Espírito Santo na vida do homem,  o faz lembrar de todos os conselhos de Deus e na obediência, o pleno controle a que chamamos de “santidade”.

                                         
II –  OBRAS DA CARNE, UM CONVITE AO PECADO.

2.1 A cobiça.

Dentro do texto do autor, separo esta frase: “Homem algum tem o poder de controlar ou transformar a natureza de outra pessoa, somente Deus tem esse poder”.

Algumas questões  esbarram sempre no conceito do livre arbítrio e neste caso, Deus não fará coisa alguma se o homem não der o primeiro passo em sua direção com um coração quebrantado e disposto a obedecer seus conselhos.


II Co.10:2-6 - Rogo-vos, pois, que, quando estiver presente, não me veja obrigado a usar com confiança da ousadia que espero ter com alguns, que nos julgam, como se andássemos segundo a carne.

3 - Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne.

4 - Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;

5 - Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;

6 - E estando prontos para vingar toda a desobediência, quando for cumprida a vossa obediência.

A cobiça é o antidoto do mal. Sentimento ruim que se instala no homem alimentando seus desejos até escraviza-lo de forma quase ilimitada.

Há casos em que a cobiça causa tanto dano que se faz necessário tratamento psicológico para “descompulsão”;  os divãs que o digam.

A MELHOR RECEITA?!

João 8:36 Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.


2.2 A oposição da carne.

Falar em oposição da carne é importante lembrar que esse domínio varia de homem para homem dependendo de uma série de fatores que vai da educação recebida no lar aos princípios naturais de ética. Há pessoas que não sendo crente, não se permite andar de forma desenfreada. Esse tipo de pessoa quando se converte, via de regra tenta subverter os demais que não trazem essa marca e depende 100%  do poder da Palavra do Senhor em sua vida. Admito como a ovelha que precisa andar sempre, nos ombros do pastor, quer gostem ou não.

                     
III –  FRUTO DO ESPÍRITO, UM CHAMADO PARA SANTIDADE.

3.1 O que é o fruto do Espírito.

Parece fazer mais sentido quando lemos:  “O fruto do Espírito” e não “o fruto do espírito”.

Fica claro que por mais honrados e bondosos que sejamos, a nossa dependência do Espírito de Deus é total. Ele nos leva para além das realizações pessoais. Damos como exemplo disso, a capacidade de José se controlar na casa de Potifar e no palácio, no encontro com seus irmãos.  Gn.39:2 e Gn. 45:15.


3.2 Os frutos provam a nossa verdade.

Esse ponto é muito interessante. Há religiões que valorizam as benemerências praticadas pelos seus seguidores.

No tocante a vida cristã, quando temos alguma qualidade pessoal, o Espírito de Deus torna isso mais brilhante ainda. Temos esse exemplo em Daniel que estando com total liberdade no palácio de Nabucodonozor, tomou decisão; a fé falou mais alto e preservou o que podemos chamar de “fruto do Espírito” ou seja nossas atitudes ou ações praticadas em Deus pelo seu Espírito.

Nisto, o homem não atingiu o estado de perfeição para a prática do bem. Precisamos da ajuda do Senhor e desejar viver em obediência.


3.3  A santidade que o Espírito Santo gera em nós.

Importante refletir sobre o texto da lição e como o autor considera esse processo.

a)     Posicional.  b)  Progressivo e c) Final.


Cada passo da nossa vida deve estar inteiramente apoiado,  na graça do Senhor revelada pelo seu Espírito e obviamente, pela leitura sintomática da palavra do Senhor.

Há duas maneiras de ler a Bíblia e dela extrair o máximo que pudermos para crescimento:

Leitura devocional que chamo de “deleitosa”

Leitura investigativa – Muito valiosa,  pois é a que nos leva a conhecer cada assunto por sua ordem e tema.

Quanto mais oramos, examinamos as escrituras e nos dedicamos aos afazeres espirituai, mais força combinada teremos para uma vida de santidade.

Força combinada é a soma do nosso desejo em servir a Deus e a ação do Espírito de Deus em nossa vida.


Desejo a todos os queridos irmãos, um ano abençoado e valorize sua posição de professor de Escola Bíblica Dominical, pois sabemos da sua importância  na vida dos membros da igreja.

Ame sua classe, dedique-se e lembre-se o que aumenta em número de alunos, será a sua atenção e simpatia com o povo; como se você fosse o pastor da classe.





VOCÊ SE ESCANDALIZA COM TUDO?

VOCÊ SE ESCANDALIZA COM TUDO O QUE ACONTECE EM NOSSO MEIO?

Com tudo o que acontece no nosso meio e no mundo católico nada me inquieta a não ser os que tiram proveito econômico da fé, talvez para fugir da crise que se abate sobre os que trabalham honestamente para ganhar o pão de cada dia?!
A razão é bem simples e vou pontuar.

Quando o Senhor Jesus disse: "Por se multiplicar a iniquidade, o AMOR de MUITOS esfriará" (Mt.24:12 - Caixa alta, minha) deixou claro e hoje fica muito mais claro como segue:
1 - Há quem se escandalize com o caráter nepótico praticado por muitos ministérios; tudo, sempre, em família.

2 - Há quem se escandalize com quem envia; filhos, parentes próximos, genros e outros filiados aos EUA a pretexto de fazer missão, quando muitos querem tão somente engordar o "curriculum", reforçar o aprendizado de novo idioma e dar aos filhos uma educação avançada com tudo muito bem pago pela igreja que os enviou.

3 - Há quem se escandalize com um "monte" de "pregadores" que invadiram nossas igrejas, levando 5, 10 ou 15 mil para uma ou duas noites de pregação, dinheiro entregue pelos santos para ser usado em obras sociais com os necessitados que nunca são vistos no ministério diário.

4 - Há quem se escandalize com "pregadores" que não pregam nada e coisa nenhuma. Tirando o Antigo Testamento, eles ficam perdidos, pois usam os textos para aplicar como um sonífero espiritual, concentrando-se nos impulsos emocionais que são medidos por "gritinhos" de "glória Deus" e "aleluias", à tempo e fora de tempo.

4 - Há quem se escandalize com "pregadores" que não pregam nada e coisa nenhuma. Tirando o Antigo Testamento, eles ficam perdidos, pois usam os textos para aplicar como um sonífero espiritual, concentrando-se nos impulsos emocionais que são medidos por "gritinhos" de "glória Deus" e "aleluias", à tempo e fora de tempo.

5 - Há quem se escandalize com o alto índice de "desigrejados" quando muitos deles,  não conheceram de verdade o Reino dos Céus e nunca experimentaram de verdade o novo nascimento.
Mateus 3:2 e João 3.

6 - Não me escandalizo com o padre Marcelo quando o vejo em horário cedido pela Globo, reunindo milhares e vendendo de tudo para garantir rendas, como com outros padres que "pregam" na televisão e alguns, até muito bem quando creditam a Maria, um poder que põe de lado o próprio Cristo como ÚNICO mediador entre Deus e os homens.

7 - Não me escandalizo com o espiritismo que não atenta para a poderosa doutrina da ressurreição dos mortos em toda extensão do Novo testamento como um fato, começando pelo próprio Senhor Jesus que ressuscitou dentre os mortos para nossa justificação. ICo. 15.

8 - Não me escandalizo com os Islamismo que usa uma teologia que ignora o verdadeiro Deus de Abraão e as promessas encerradas na plenitude dos tempos com o nascimento de Cristo.
9 - Muito menos com os TJs e Adventismo entre outras e de quebra quem usa Calvino ou Armínio para viver às turras na rede social.

O TEMPO DO FIM.
Está aí para provar que a Bíblia está certa e que tudo quanto acontece, está devidamente predito na Palavra do Senhor. 

APOCALIPSE 6:14-17.
"E o céu retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos dos seus lugares.

E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas;

E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro;

Porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?

Genivaldo Tavares de Melo
em 28/12/2016

sábado, 17 de dezembro de 2016

“A IDIOSSINCRASIA(*) DE QUEM QUER TRIBUTAR IGREJA”.


PALAVRA DE CONTADOR.


Igreja é um ótimo “empreendimento” para quem quer lavar dinheiro.

Tenho que ser duro e não há outro jeito. Nunca ouvi expressão mais estúpida que essa quando dita de forma discriminatória e difamatória, generalizada. Para atingir todas de forma preconceituosa.

Já abri algumas igrejas e tenho algumas sob meus cuidados administrativos, além de viver igreja por quase 60 anos, sei muito bem o que digo.

A Constituição Federal do nosso país  garante aos templos religiosos ou simplesmente igrejas em que se inclui o conceito geral de religião, total “imunidade” tanto do ponto de vista tributário como da inviolabilidade somente gozadas pelas representações diplomáticas.

Deixo de citar os artigos do instrumento basilar por ser apenas uma reflexão, sem pretensão a uma análise jurídica, pois não sou jurista e meus conhecimentos se fundamentam pelo gosto à leitura.

Todos nós conhecemos a história das religiões ou igrejas em nosso país que para cá migraram; Igreja Católica, Presbiterianas, Batistas e outras foram surgindo com o passar do tempo.

A Igreja Católica firmou-se  em nosso solo de maneira soberana pela forte expressão de influência junto as autoridades governamentais de todas as instâncias, dando-lhes o privilégio de se instalarem nos melhores lugares, de acumular riquezas e propriedades, acredito que nada mensurável ou pelo menos, publicável. Suas riquezas são depositadas aos pés do Vaticano.

As demais foram modestamente conquistando espaço sob perseguição empreendida pelo catolicismo exacerbado, com requintes de violência em alguns cantos do nosso grande território.

Os missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren aportaram em nossas terras, em Belém do Pará e após serem expulsos da igreja Batista que frequentavam e moravam, por conta da orientação pentecostal, fundaram a igreja Missão de Fé Apostólica em 1911, tornando-se o maior movimento pentecostal da América Latina e assim, conquistaram o Brasil sem a doutrina da prosperidade e outras enganações.

Com o surgimento dos movimentos chamados neopentecostais, algumas pessoas desprovidas de sentimentos, de temor a Deus e pior ainda, de caráter, acharam nesse veio, uma grande chance de “ganhar dinheiro sem fazer força” e tudo por conta da insatisfação de muitos que diante da severidade doutrinária, procuravam algo que pudesse conciliar a fé e a vida social sem muito exercício de dedicação doutrinária.

Com essa singela expressão dos fatos, vimos surgir “igrejas” como  IURD, Mundial e outras que pelo fácil enriquecimento dos seus líderes, lançaram uma fumaça suja poluindo as igrejas tradicionais e algumas delas, usando o próprio nome de Assembleia de Deus, por ser uma marca de domínio público.

Neste vasto território, há centenas de igrejas evangélicas, cujos pastores se desdobram pela sobrevivência, muitos trabalham em ofício material para sustentar suas famílias, conheço muitas nessas condições e outras que sequer podem pagar honorários à contador para mantê-las bem organizadas sob a exigência das leis. A uma delas, dispensei qualquer cobrança.

Vamos aos fatos que tratam de lavagem de dinheiro e outros crimes.
Não se pode penalizar a maioria por conta da minoria de homens corruptos que a Bíblia os chama de “cães”, obreiros fraudulentos e outros adjetivos publicáveis.

Muitas reclamações  lidas nas redes sociais procedem por conta de ministérios que enriquecem seus “presidentes” e principalmente quando servem de cabide para a vida fácil com funções administrativas ocupadas por filhos e parentes diversos e até mesmo com o nome de missionários que vão para países desenvolvidos muito mais com o objetivo de enriquecer o currículo e idiomas que qualquer outra coisa.

Não são todos os pastores que trocam de carro todo ano e que moram em coberturas.

Com a explosão do crime de corrupção, possivelmente alguns tenham tirado proveito da situação e outros até, quem sabe, abriram “igrejas” como forma de lavar o dinheiro desviado dos cofres públicos e quem sabe até de outras fontes criminosas.

No momento em que escrevo isto, estou no meu escritório trabalhando e na porta, o meu Clio2000, pois nunca usei de meios sórdidos para enriquecer. Minha esposa e filhos podem se orgulhar do pai que têm.

O Brasil possui um ministério público capaz, uma rede de inteligência policial muito competente, assim bastaria investigar  os sintomas de enriquecimento rápido e certamente ilícito e tratar com esses criminosos travestidos de pastores, mesmo que o dinheiro saísse em forma de remuneração lícita, chamada de “prebenda” pastoral.

Finalizando esta breve reflexão sobre o assunto, quero dizer que a nossa Pátria deve e muito as igrejas evangélicas, pois nas cadeias, só tem “ex crentes” que foram desobedientes a Palavra de Deus,  recusaram o amor da verdade e resolveram entrar na vida de bandido.

 Milhares de famílias têm sido abençoadas com os bons ensinos, casamentos regenerados, milhares de jovens que não ficam pelas ruas praticando vandalismo e destruindo vidas.

Se todos obedecessem ao evangelho de Cristo, com certeza a população carcerária não seria tão expressiva e onerosa aos cofres públicos como de fato é.

Assim peço a Deus que milhares de igrejas não sejam prejudicadas por conta da vilania instaurada nos meios evangélicos. Fora, com os exploradores da fé.

(*) Idiossincrasia = Gr.idiosugkrasía; Daqueles que acham que igreja é tudo igual; são todos roubadores e merecem castigos.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

SABEDORIA DIVINA PARA A TOMADA DE DECISÕES, EBD Lç. 12 para 18/12/2016 (subsídio)

SABEDORIA DIVINA PARA A TOMADA DE DECISÕES.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 12 PARA O DIA 18/12/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – CRISE FAMILIAR NO REINO DAVÍDICO.
II – SALOMÃO BUSCA SABEDORIA PARA REINAR.
III – SABEDORIA PARA EDIFICAR O TEMPLO.

                      A leitura dá graça e entendimento aos símplices.  


I – CRISE FAMILIAR NO REINO DAVÍDICO.
  
1.1 A velhice do rei. (IRs. 1:1-4)

Neste ponto o autor traz a público o tempo decorrido em função da idade do rei para escolher seu sucessor ao trono de Israel e este tema deve fazer coçar a língua de muitos professores e nem preciso explicar as razões ou devia? Se o professor não tiver cuidado e pulso, perde a direção e passarei a expor:

Trazendo a questão para o tempo presente, muitos certamente comentariam sobre a sucessão pastoral e deixo de comentar sobre isso pelo fato de a lição já nos dar a importante dica sobre este assunto.

1 – No caso de Davi, este deveria já ter preparado um soberano que poderia ser filho ou não; a rigor, no campo político principalmente em governos regenciais o primogênito assume a coroa. Isso acontece também nas ditaduras (ex. Cuba – Fidel e Raul Castro).

2 – No ministério pastoral não pode acontecer, pois o pastor não é o “príncipe regente da igreja”,  todavia quando este tem filhos obedientes, retos, sinceros e bem vistos aos olhos da igreja, não é improbidade a ascensão ao pastorado da igreja, todavia é bom olhar do lado e ver a figura imponente de um vice presidente que ao longo dos anos contribuiu com sua vida e colaboração na mais absoluta fidelidade ao ministério e Deus não veria com bons olhos, caso houvesse uma jogada politica para afastar o provável sucessor por direito e fatos.

3 – A escolha deve ser do Senhor que dará a todos, a inteireza de uma decisão feita com prudência.

1.2 Adonias e os valentes de Davi.

A disputa estava instalada na casa do rei.

Vou comentar algo que pode parecer alheio à lição, mas que sirva de “lição” para muitos pais. Um pai sensato deve  fazer o possível para nomear seus herdeiros ainda em vida colocando-se como “usufrutuário” no pátrio poder dos bens. Há casos de brigas insustentáveis no seio das famílias por conta dessas questões.

Se o rei tivesse tomado decisão quando ainda estava no pleno vigor físico e domínio do trono, certamente teria evitado muita confusão na família e no próprio reino.

Vejam a importância deste assunto. Um pastor que tem consciência da sua chamada, não precisa ficar enciumado com quem quer que seja no tocante a legitimidade do seu governo na igreja, pois Deus honra a quem honra e devemos nos lembrar de Moises que sofreu a disputa escancarada de Coré, Datã e Abirão que caíram fragorosamente por não terem o reconhecimento do Senhor.

Lá fora uma coisa e aqui dentro, outra. O poder pertence a Cristo.

1.3 A atitude de uma mãe em meio à crise.

Aqui temos a figura de Bate-Seba que correu a denunciar a Davi os propósitos de Adonias e teve como resposta a imediata coroação de Salomão como rei.

IRs. 2:2-4 - HÁ CONSELHO MAIS LINDO E SEGURO QUE ESTE?
“Eu vou pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem.
E guarda a ordenança do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo quanto fizeres, e para onde quer que fores.
Para que o Senhor confirme a palavra, que falou de mim, dizendo: Se teus filhos guardarem o seu caminho, para andarem perante a minha face fielmente, com todo o seu coração e com toda a sua alma, nunca, disse, te faltará sucessor ao trono de Israel.”.
                                         
II –  SALOMÃO BUSCA SABEDORIA PARA REINAR.

2.1 O novo rei.

Todo bom começo precisa ser feito no Senhor, com humildade e reconhecimento do seu amor e grandeza. Assim foi o começo de Salomão diferente de todos os que vieram depois dele.

Uma lição para quem deseja o episcopado. Ninguém faz um curso de teologia e sai pronto.

2.2 Salomão pede sabedoria a Deus.

2Cr. 1:10-11e Deus:

Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento, para que possa sair e entrar perante este povo; pois quem poderia julgar a este tão grande povo?
Então Deus disse a Salomão: Porquanto houve isto no teu coração, e não pediste riquezas, bens, ou honra, nem a morte dos que te odeiam, nem tampouco pediste muitos dias de vida, mas pediste para ti sabedoria e conhecimento, para poderes julgar a meu povo, sobre o qual te constituí rei,

Uma pergunta e ninguém precisa responder, pois é apenas para pensar: O que os homens pedem hoje?


2.3 Um desejo de construir um Templo para Deus.

Neste ponto o autor considera o propósito de Salomão em construir uma casa para adoração e este pensamento esteve no coração de Davi, impedido de faze-lo.

O que quero considerar neste ponto e espero que os professores conduzam muito bem e que andam tentando desqualificar as igrejas como locais de culto; que igreja não é parede, somos nós.

Prestem atenção:
É estupidez discutir por nomenclaturas ou simplesmente nomes ou títulos.

A palavra trindade não está na Bíblia? Não. E daí?! O nome foi usado para definir o que na Bíblia é a verdade; O pai, o filho e o Espírito Santo.

Parede não é igreja? Não. E daí o nome cresceu popularmente como qualquer lugar onde se realize cultos, seja em casa, salão ou templos. Nada fere princípios doutrinários.

                     
III –  SABEDORIA PARA EDIFICAR O TEMPLO.

3.1 Salomão faz aliança com Hirão. IRs.5:1-6.

Fazer aliança, que não seja como faz governo e parlamentares, a busca de se fazer aliança e notadamente, entre o povo do Senhor é a melhor saída para a crise da igreja brasileira, mas sem vontade das partes em lavar os pés uns dos outros, as soluções são difíceis.

O orgulho e a vaidade tem tomado conta dos homens que lideram os grandes ministérios e mesmo sabendo que o povo de Deus não está dividido por conta dessas questões,  isso posso provar, os caminhos têm sido penosos.

3.2 A construção do templo.

Recomendo a leitura deste tópico com muito vagar principalmente o final do texto quando o autor diz: “Os trabalhadores e todo o Israel se dispuseram a fazer o melhor porque estavam felizes com o reino de Salomão”.

Quero chamar a atenção para isto. Há nas redes sociais muita reclamação com desmandos de pastores e ministérios. Nem tudo é verdade, porém muita coisa precisa ser revisto, pois é comum ver-se pastores presidentes e isto, em qualquer Estado, morando em excelentes moradias, com sobra de recursos, trocando de carro com muita frequência, usando roupas de grife, filhos bem alimentados e frequentando boas escolas, enquanto pastores auxiliares, levam uma vida com extrema dificuldade que levam seus filhos a desacreditarem de justiça nas igrejas e acabam se desviando para serem acusados de rebeldes.

3.3  A arca da aliança.

Salomão tirou a arca da tenda da congregação para que habitasse no grande templo que ele havia construído. A presença do Senhor foi manifestada como sinal de aprovação (IRs.8:10). Os sacerdotes sequer podiam ficar em pé naquele lugar.

Podem gastar todo o dinheiro do mundo para construir réplicas do templo, todavia hoe não funciona mais; é jogar dinheiro pela janela que daria para fazer grandes empreendimentos para beneficiar o povo.

Sem fogo, não dá.

Peço aos companheiros que sejam cautelosos no ensino aos seus alunos e se perceberem que pego pesado na exposição do subsídio, não precisam pegar ao pé da letra e jogar para os alunos, pois nem todos suportam certas verdades por fraqueza.


Quando ensino nas EBDs e fiz isto por muitos anos, procurava saber que material humano tinha diante de mim.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

O SOCORRO DE DEUS PARA LIVRAR O SEU POVO, EBD Lç.11 p/11/12/2016 (subsídio)

O SOCORRO DE DEUS PARA LIVRAR O SEU POVO.
EBD – SUBSÍDIO - LIÇÃO 11 PARA O DIA 11/12/2016.
PONTOS A ESTUDAR:
I – A PROVIDÊNCIA DE DEUS.
II – ESTER NO PALÁCIO DE ASSUERO.
III – A CRISE CHEGA PARA O POVO DE DEUS.


PURIM é uma festa judaica que comemora a salvação dos judeus persas do plano de Hamã, para exterminá-los, tal como está escrito no Livro de Ester, um dos livros do Tanach.


I – A PROVIDÊNCIA DE DEUS.

O autor se vale do livro de Ester para trazer-nos como por semelhança, o quanto Deus pode fazer pelo seu povo, resguardadas as devidas proporções entre Israel e o povo da dispensação da graça.

1.1 A providência divina na história de Ester.

Ester estava na fortaleza de Susã junto com seu tio Mardoqueu, foram para lá entre os cativos de Judá. Na questão de providência, nada impede de haver duas correntes de pensamentos a respeito deste e de outros casos semelhantes.

Sempre que tratamos assuntos sob a ótica divina, afirmamos que Deus já tinha preparado os meios como se inclui também a doutrina da eleição. Tudo está sob o controle de Deus.

Se tratarmos sob a ótica humana o que não fere qualquer princípio doutrinário, podemos dizer que para solucionar problemas, Deus lança mão daquele que estiver mais próximo com um coração apto a receber sua orientação.
Alguns exemplos:
Raabe morava em Jericó e fez o que precisava ser feito para esconder os espias.
Maria tinha qualidades que a tornaram singular diante de Deus para ser escolhida pelo Senhor.
Ester estava na fortaleza de Susã e tanto ela quanto Mardoqueu e principalmente ele, estava muito atento a voz de Deus.

Assim, estejamos sempre prontos e atentos, pois Deus pode querer uma de nós para grandes obras em favor de necessitados e dos que hão de herdar a vida eterna.



1.2 A festa do rei.


Xerxes I governou a Pérsia de 486 a 465 a.c.  e seu império se estendia da Índia até a Etiópia, com sonhos de dominar a Grécia.

Não se tratava de uma festinha, mas de uma pomposa festa que cobria os convidados entre as cento e vinte e sete províncias, príncipes e servos para mostrar a sua grandeza.

Ao final, mais sete dias de festa envolvendo todos os que moravam na Fortaleza de Susã, com ordem de comerem e beberem a vontade, estabelecendo que ninguém fosse forçado a nada, pois o beber era por lei (Ester 1:8).

Em todo o tempo os poderosos gostavam de mostrar sua riqueza e poder, cada um ao seu modo e capacidade de bancar as festas e outros, como Calígula enchia-se do diabo para promover suas bacanais e crimes hediondos.

A tudo Deus assiste pacientemente ate o limite quando resolve  pesar a mão e acabar com a festa. Belsazar, o último rei da Babilônia, usando os vasos sagrados roubados de Jerusalém em sua conquista para neles beber, soube bem o significado disto.

Ninguém deve se escandalizar por haver quem gosta de festa e poder no meio evangélico; a bíblia se cumpre e apressadamente.

Tudo tem limite. Basta orarmos com inteiro coração.


1.3 A destituição da rainha.

Confesso que sempre tive admiração pela rainha Vasti; demonstrou ter personalidade em não se permitir servir de objeto para homens bêbados. Desafiar o rei Persa, não era pouca coisa.

Quando a mídia expõe; mulher melancia, jaca, mulheres que atraem astros do futebol, políticos e tudo para viver em vitrines. Lamentamos que umas envergonhem as outras.

Mau caratismo existe em ambos os sexos.


II –  ESTER NO PALACIO DE ASSUERO.

2.1 A busca de uma jovem para o lugar de Vasti.

“Busquem-se moças virgens para o rei” Et.2:2.
Sempre ouço aqui e ali, pessoas loucas que tentam desqualificar a Bíblia e se as feministas encontrassem esse texto... Não obstante, essa decisão não partiu de uma orientação divina e sim humana e era normal. Quando lemos história geral, em um canto ou tempo sempre houve quem se sentisse o dono da vida humana e a mulher sempre usada como objeto do desejo, principalmente jovem e virgem. Não há dúvida que é irritante, pois logo pensamos nas nossas filhas.

Havia que gostasse, vendo nisto uma enorme possibilidade de se dar bem.

De qualquer maneira, a mão do Senhor estava sobre seu povo e particularmente sobre a vida de Mardoqueu e Ester que logo caiu nas graças do rei.

2.2 Mardoqueu e Ester.

 Quem conduziu Ester ou Hadassa à casa do rei, deve ter sido um “olheiro” (nome dado a pessoas que vivem procurando moças belas para concursos em nossos dias), todavia a mão de Mardoqueu acompanhava Ester sempre, procurando saber dos seus passos (Et.2:20) e aconselhando-a.

O caráter de Mardoqueu dispunha-se a qualquer prova de valor moral e fé.

Belo exemplo para todos nós.


2.3 Ester é escolhida para o lugar de Vasti.

Como havia um propósito que era a salvação do povo judeu por conta do ódio destilado por Hamã, além da beleza de Ester ou Hadassa, a mão do Senhor movia-se na direção de Ester.  Mardoqueu apertava com ela para que se aproximasse do rei enquanto havia tempo não desse conhecimento da sua nacionalidade, haveria tempo para isso como houve.  Et.7.

Há cristãos que se apressam para declarar a sua fé e o melhor é deixar que percebam a partir das boas atitudes.

                     
III –  A CRISE CHEGA PARA O POVO DE DEUS.

3.1 A trama de Hamã.

O autor trata da má ação de Hamã que havia convencido o rei a publicar decreto danoso contra o povo judeu. Quero pontuar algumas questões que entendo serem importantes para os alunos:

1 – Quando mantemos a fé, nunca faltará inimigo;  que não goste de “crente”.
2 – No trabalho, o cristão deve se mostrar-se  amistoso com todos, respeitando, ouvindo e colaborando sempre que possível sem esquecer que a nossa cidade está nos céus.
3 –  Não confiem demasiadamente  nas pessoas; nem todos carregam boas intenções.
4 -  Mardoqueu tinha descoberto uma tentativa de golpe contra o rei e ainda mantinha o caráter e a disposição de não ficar bajulando o Hamã achando que com isto, poderia conquistar seu coração. Melhor não tentar. Quem é maldoso, até dentro das igrejas eles vivem tentando aplicar seus golpes baixos contra os fieis ou comprar oportunidades.


3.2 Ester toma conhecimento da trama contra o seu povo.

Recomendo a leitura em classe do texto bíblico no cap. 4 a partir do verso 9 quando se inicia um diálogo entre Mardoqueu e Ester tendo como intermediário, Hataque que era eunuco na casa do rei no espaço das mulheres.
Chamar a atenção dos alunos para os seguintes pontos:

1 – Não imagines em teu ânimo que escaparas Verso 13.
      Sempre foi assim na vida do povo de Deus; um não basta, tem que ser todos   para
      viver ou morrer.

2 – De qualquer maneira se nada fizeres, socorro de outra parte nos virá Verso 14.
              Lembremo-nos do que fora dito a Elias quando ele dizia: “mataram os teus
              Profetas,  só eu fiquei e buscam a minha alma”.

3 – A igreja, a maioria delas não estão trabalhando para o crescimento do reino de
      Deus e nesse caso, não podemos reclamar que estão invadindo campo.             
  

3.3  A estratégia sábia de Ester.

Agora sim. De posse das informações e do perigo que o povo corria, Ester preparou um surpreendente plano para entregar o mau Hamã nas mãos do rei e desmascara-lo, pois grande era a sua impiedade e soberba por ser importante no governo de Assuero. Já tinha mandado construir uma forca para Mardoqueu.

A partir do verso 6 capítulo 7 de Ester o seu plano começa a surtir efeito e assim, veio o livramento.  Recomendo a leitura dos versos 4 ao 10 com seus alunos.

Enfim. O livro de Ester é um livro que enche os nossos corações.


Deus nunca abandonou o seu povo e nós também não seremos abandonados diante da situação em que vive o nosso país.