Tradução deste blog

domingo, 5 de março de 2017

MINISTÉRIOS E O PODER CENTRALIZADOR

MINISTÉRIOS E O PODER CENTRALIZADOR.
Genivaldo Tavares de Melo  03/2017.


                                 Que os homens e ministérios sejam sãos na fé.



Muitos fazem críticas sem saber sequer o que há debaixo do casco do jumento.

JERUSALÉM – Protagonista da primeira assembleia geral ou concilio. Capitaneada por Pedro e os demais apóstolos do Senhor. Não era possível dizer quem mandava mais ou menos,  pois o Espírito era de Cristo sobre todos. Dessa assembleia  saiu a decisão que iria nortear a vida dos  novos convertidos notadamente  gentios. Coube também enviar líderes para dar conhecimento dessa decisão às igrejas; irmãos, que com eles experimentaram perseguições sem se importarem com o cheiro da morte; Judas, Silas, Barnabé e Paulo,  (Atos  15).

Interessante observar também que os apóstolos não tiveram qualquer intenção de criar dogmas  bastou-lhes esclarecer o necessário para uma vida cristã abundante e com razão, o mestre deles foi diretamente o Senhor Jesus que também não criou dogmas para os conversos. 

As doutrinas bíblicas quando seguidas com graça e sabedoria são suficientes para levar o crente ao porto desejado.

ANTIOQUIA – Havia um ministério composto por gente de peso como Barnabé,  Simeão também chamado Niger, Lucio e Manaém que fora criado com Herodes entre outros. O clima era predominantemente espiritual e os interesses comuns permitiram que o Espírito do Senhor,  lhes falasse : “Apartai-me a Barnabé e a Saulo...”. (Atos 13).

A IMPORTÂNCIA DOS MINISTÉRIOS – Sem bem conduzidos, serve de bênção para muitos pastores espalhados que por circunstâncias como saúde ligada ao clima do lugar, sabem a quem recorrer quando precisar de mudança.  Existindo ainda o velho problema de incompatibilidade, pois em muitas igrejas, famílias atrapalham a vida do pastor quando estes não se permitem conduzir e casos em que o pastor não agiu com a devida correição.

OS DANOS CAUSADOS – No tocante ao poder centralizador, os danos são sempre de grande monta, pois há os que prejudicam o andamento da obra,  agem com injustiça em suas ações, perdem-se em interesses políticos e econômicos quando seus líderes se colocam acima do bem e do mal impedindo a atuação do Espírito de Deus na sua condução.

QUEM MELHOR OPERA NA EVANGELIZAÇÃO? – O reino de Deus não cresce por conta das organizações, das agendas e promoções espirituais; crescem pelo trabalho de verdadeiras “formigas”, homens, mulheres, jovens e até crianças que amam a Cristo e dão testemunho da fé por onde passam. Assim a igreja Assembleia de Deus cresceu no Brasil e as suas lideranças deram passos de fé à frente desse crescimento.

Não podemos, por conta dos maus, esquecer que o Espírito Santo ainda opera no meio do seu povo e na vida de muitos líderes que felizmente e pela graça de Deus se colocam sob a carga e a conduzem com alegria e corações desinteressados.

Se nos aplicarmos em divulgar os males dos maus, os pequenos serão destruídos,  pois isto funciona como uma bomba de efeito moral sobre a vida de todos. Uma crítica justa, séria e bíblica,  sem o ranço do desabafo por conta de interesses pessoais não atendidos, sempre funciona bem.

Que sejamos melhores e abençoados pelo Senhor, deixando de lado as vaidades, os olhos nas grandes riquezas e pensemos na maior riqueza que Cristo tem para nós.


Acima de tudo e de todos, saibam que Deus não está morto nem ausente do planeta Terra

Nenhum comentário:

Postar um comentário