Tradução deste blog

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

JESUS É SUPERIOR A JOSUÉ - EBD LÇ. 4 28/01/2018

EBD LÇ. 4 28/01/2018 “JESUS É SUPERIOR A JOSUÉ – O MEIO DE ENTRAR NO REPOUSO DE DEUS.”.


O que escrevo com base nos textos da lição, representa o meu pensamento e o que posso extrair para o ensino na Escola Bíblica Dominical,  lembrando que os alunos não são estudantes de Teologia, mas precisam usufruir de um bom e seguro ensinamento.  Eles funcionam como polinizadores;  sim, eles dão fruto para o Reino de Deus.


PONTOS:
I – JESUS PROVEU UMA MENSAGEM SUPERIOR A DE JOSUÉ.
II – JESUS PROVEU UM DESCANSO SUPERIOR.
III – JESUS PROVEU UMA ORIENTAÇÃO SUPERIOR.


 Josué conduziu o povo à Terra Prometida, mas a posse não seria eterna, a morte separaria o herdeiro da herança. Jesus oferece uma herança eterna.



   I – JESUS PROVEU UMA MENSAGEM SUPERIOR A DE JOSUÉ.


1.1 Uma mensagem que deve ser recebida pela fé.

Estudar o novo testamento principalmente Hebreus à luz dos acontecimentos que trata do Exodus, a mobilização do povo em direção a terra prometida, mostra-se muitíssimo interessante pela similaridade que existe entre eles e a igreja.  Eles fazendo o percurso do Egito a Canaã com todos as durezas da caminha e nós, caminhando para a Canaã Celestial.

Aquela geração, não alcançou a promessa por incredulidade e dureza de coração e o que será desta geração que recebemos a mensagem em sua plenitude e nos deixamos levar pelo mesmo endurecimento?

Um grupo acha que não há problema para os eleitos. Não é o que aprendemos na Palavra de Deus.

 1.2 Uma mensagem que se fundamenta na obediência.

A palavra chave deste ponto é: “A mensagem de Deus só tem proveito quando acompanhada pela obediência.”.

As exortações convidando à obediência são largas no Novo Testamento. Se a salvação nesta vida fosse perfeita e inabalável, não haveria motivo para se falar em obediência.

Assim, a obediência e a caminhada até aquele dia, devem ser permanentemente policiadas.


1.3 Uma mensagem que conduz à contrição.

Vi as várias definições nos dicionários, para “contrição”.

Contrito é a condição emocional e espiritual do ser diante da Palavra de Deus que aponta a fraqueza e o pecado convidando o homem ao arrependimento.

Contrição é ainda um sentimento que faz com que o homem mergulhe no seu interior auto-avaliando sua relação com o criador, porém isto não é obra meritória para a salvação como alguns afirmam. A graça salvadora não precisa de substitutos.

II – JESUS PROMOVEU UM DESCANSO SUPERIOR AO DE JOSUÉ.

2.1 Um descanso total.

Entendo que Josué conquistou a dominação de toda a terra de Canaã, todavia não expulsou todos os moradores e nesse sentido, não fez uma obra completa, um descanso total e é bom lembrar apenas o caso dos Gibeonitas que iludiram Josué e acabaram ficando em suas terras.

Comparando a obra de descanso prometido ao povo com a promessa de descanso prometido por Cristo, (Jo.14:2), sem dúvida, a obra de redenção em Cristo, garantirá a paz eterna.

 2.2 Um descanso real.

A conquista de Canaã tinha dois aspectos:

Aspecto físico  – A conquista real da terra. Deus prometeu a Abraão, Moisés conduziu o povo e Josué comandou a conquista.
Aspecto espiritual da conquista -  Como um tipo que aponta para o que é eterno e é o antítipo, a nossa Canaã Celestial.

2.3 Um descanso eterno.

Todos sabemos que o Senhor começou sua obra, elegendo os semitas hebreus,

HEBREUS  - (Gn.14:13) indica a origem de Abraão, filho de Eber e de Sem.
ISRAELITAS – Tem origem em Jacó que recebeu esse nome, sendo o patriarca dos hebreus.
JUDEUS – Apesar de ter ligação com Judá, o termo cobriu toda a nação se tornando o nome comum pelo qual seriam chamados e o são, até hoje.

Esse povo recebeu a promessa do descanso, mas outro descanso estava por vir e muito mais importante que  o primeiro.

Israel sempre esteve sob os planos de Deus, mas pela desobediência, nós nascemos e eles sem nós, não serão aperfeiçoados. (Hb.11:40).

III – JESUS PROVEU UMA ORIENTAÇÃO SUPERIOR A DE JOSUÉ.


3.1 Uma palavra viva.

Deste tópico, retiro a afirmação de que Jesus entregou-nos uma palavra viva com promessas eternas, não se limitando a letra conforme diz o autor.

A letra na antiga aliança, refere-se a lei e as promessas, ambas desprezadas pelo povo.

A declaração de vida  nas palavras do Senhor, se dá pelos milagres, pela morte e ressurreição do Senhor que sustenta sua palavra.


3.2 Uma palavra eficaz.

A eficácia da palavra do Senhor se dá sob dois aspectos:
A transformação das vidas, as curas, a autoridade sobre a natureza e sobre os demônios e finalmente,  o que só pode ser percebido pela fé, pela paz e alegria produzidas em nosso coração.


3.3 Uma palavra penetrante.

As palavras de Cristo, se sobrepõe as palavras de Moisés, de Josué, sendo viva e penetrante.

Vale dizer que os mortos ouvem a sua voz.

No sentido do domínio sobre a morte, Lázaro ouviu a chamada do Senhor e voltou para assumir o corpo pela ressurreição. (Jo.11).

Os homens (nós) que morreram pelo pecado, ouvem a voz do filho de Deus e passam a viver, mas somente os que sendo chamado, creem.

O autor termina a lição neste ponto:

“Os Israelitas falharam por não ouvir as palavras de Moisés e Josué e os cristãos, por outro lado deveriam ter mais prontidão pra responder a essa Palavra”.

          ------------------------ooooooooooo----------------------------


Aos Irmãos coordenadores de EBD:  Não torne a lição, um caderno inútil, fazendo valer os seus argumentos, um estudo à parte desta ferramenta. Recebo muitas reclamações de irmãos frustrados por conta disso. Há quem crie argumentos, tão à parte, que inutiliza até o tema proposto para estudo.


Caro professor, presenteie seus alunos com  a “Declaração de Fé das Assembleias de Deus”. É um material barato e seus alunos irão mostrar gratidão pelo gesto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário